Posts

Análise Grande Prêmio do México de 2019 | 2019 Mexican Grand Prix Analysis

Ocorrido no dia 27 de outubro, o Grande Prêmio do México de 2019 começou com uma grande polêmica. Max Verstappen (Red Bull) conseguiu a pole position em uma pista que ele domina muito bem (o lindíssimo Autódromo Hermanos Rodriguez). No entanto, um acidente causado por Valtteri Bottas (Mercedes) provocou uma bandeira amarela e os pilotos teriam que reduzir sua velocidade. Max não reduziu. O resultado é descrito na charge abaixo:

Logo na largada, houve dois toques que mudaram totalmente o grid: um entre Verstappen e Lewis Hamilton (Mercedes) e um entre Hamilton e Sebastian Vettel (Ferrari). Hamilton e Verstappen saíram prejudicados, mas o inglês se recuperou bem rápido. O holandês, no entanto, teve mais problemas, principalmente após um toque com Bottas lhe rasgar o pneu. No entanto, como estamos falando de um dos pilotos mais talentosos do grid, ele conseguiu superar seus adversários pouco a pouco até chegar em sexto.

Já com o ladrãozinho de poles, Charles Leclerc (Ferrari), o castigo veio a cavalo: um problema no pit stop fez com que ele perdesse tempos preciosos e amargou na quarta colocação. Logo depois, Daniel Ricciardo (Renault) tentou passar Sergio Pérez (Racing Point), no entanto, acabou saindo da pista e teve que devolver a posição. Apenas dois pilotos abandonaram a prova: Lando Norris (McLaren), que sofreu um acidente, e Kimi Raikkonen (Alpha Romeo), que teve problemas técnicos no carro. Após a bandeirada, Daniil Kvyat (Toro Rosso) bateu em Nico Hülkenberg (Renault), mas provavelmente o abandono não foi contabilizado.

Lewis Hamilton foi o vencedor, com Sebastian Vettel em segundo e Valtteri Bottas em terceiro. As corridas no México costumam ser muito divertidas e gostosas de se ver. No entanto, a postura antiética dos comissários estraga o show. Não é errado punir um piloto que não respeita as regras, mas é errado punir apenas pilotos de certas equipes. Lembrando que Vettel queimou a largada no Japão, mas os comissários não o puniram por ele ser da Ferrari. Leclerc também fez manobras arriscadas no Grande Prêmio da Itália, e os comissários também não puniram a Cinderela da Fórmula 1. Infelizmente, o esporte vive uma ditadura nas mãos de comissários que são tigrões com a Red Bull, Racing Point, Renault e outras equipes, mas são tchutchucas da Ferrari. Mas, felizmente, a trapaça da equipe de Maranello não adiantou e Lewis Hamilton está cada vez mais próximo de se consagrar hexacampeão.

Notas

Corrida: 5

Pilotos

  1. Lewis Hamilton: 8
  2. Sebastian Vettel: 8
  3. Valtteri Bottas: 7,5
  4. Charles Leclerc: 1
  5. Alexander Albon: 10
  6. Max Verstappen: 9
  7. Sergio Pérez: 9
  8. Daniel Ricciardo: 8
  9. Pierre Gasly: 7
  10. Nico Hülkenberg: 7
  11. Daniil Kvyat: 5
  12. Lance Stroll: 6
  13. Carlos Sainz Jr.: 5
  14. Antonio Giovinazzi: 5
  15. Kevin Magnussen: 4
  16. George Russell: 4
  17. Romain Grosjean: 3
  18. Robert Kubica: 2

 

Abandonaram

  1. Kimi Raikkonen
  2. Lando Norris

 

Driver of the Day (escolhido pelo público): Max Verstappen

Melhor piloto: Alexander Albon

Pior piloto: Charles Leclerc