Posts

Análise Grande Prêmio da Áustria de 2020 | 2020 Austrian Grand Prix Analysis

Ocorrido no dia 05 de julho, o Grande Prêmio da Áustria de 2020 foi a primeira corrida da temporada, já que a pandemia de Covid-19 provocou o cancelamento e adiamento das etapas anteriores. Havia muita expectativa, mas a corrida foi um desastre. Muitos abandonos, poucas ultrapassagens e punições questionáveis. Antes da prova, houve uma manifestação contra o racismo na qual os pilotos se ajoelharam. Dos 20 atletas, seis se recusaram a se ajoelhar: Daniil Kvyat (Alpha Tauri), Carlos Sainz Jr. (McLaren), Kimi Raikkonen (Alfa Romeo), Max Verstappen (Red Bull), Charles Leclerc (Ferrari) e Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo). Desses seis, três abandonaram.

Valtteri Bottas (Mercedes) foi o pole position. Com a punição de seu companheiro Lewis Hamilton, Verstappen largou em segundo. Logo após a largada, houve algumas disputas, como entre Verstappen e Lando Norris (McLaren) e entre Sebastian Vettel (Ferrari) e Daniel Ricciardo (Renault). Infelizmente, os acidentes não tardaram a vir. Verstappen foi o primeiro a abandonar quando seu carro desligou subitamente. Quando o holandês abandona, é quase certeza que a corrida vai ser a pior e mais chata possível, porque Max sabe como dar um show na pista (vide a disputa com Leclerc no ano passado). Pouco depois, Ricciardo teve uma falha mecânica e se retirou da prova e o motor de Lance Stroll (Racing Point), que havia largado em nono, o fez abandonar a corrida. Vettel rodou após uma disputa com Sainz, foi para o fundo de grid e lá permaneceu.

Kevin Magnussen (Haas) rodou e foi parar na caixa de brita. Com isso, o safety car foi acionado. Sergio Pérez (Racing Point) e Alexander Albon (Red Bull) disputavam o terceiro lugar. Anteriormente, o mexicano enfrentou dificuldades para superar Norris. Com a relargada, Romain Grosjean (Haas) e George Russell (Williams) deixaram a corrida.

Na frente do grid, após uma disputa com Pérez, Albon tentou ultrapassar Hamilton, mas foi tocado pelo inglês e saiu da pista. Hamilton, que planejava uma manifestação antirracista no pódio, levou uma punição de 5 segundos. Pérez foi igualmente punido por ter ultrapassado a velocidade máxima permitida no pit lane. Enquanto isso, Leclerc sofria para ultrapassar Norris. Após a ultrapassagem do monegasco, Sainz tentou superar o companheiro, mas não conseguiu. No fim da prova, Raikkonen passou pela zebra e perdeu uma roda do carro. Kvyat quebrou a suspensão e também abandonou.

Valtteri Bottas foi o grande vencedor. Lewis Hamilton cruzou a linha de chegada em segundo, porém com a punição, Charles Leclerc herdou o segundo lugar e Lando Norris ficou em terceiro. Sinceramente, nenhuma das colunistas do site tinha vontade de analisar a prova, pois corrida monótona e com muitas quebras não são de nosso agrado (principalmente quando pilotos pelos quais temos grande carinho abandonam logo no começo). No entanto, reconhecemos o bom trabalho dos atletas e tiramos algumas conclusões. A primeira é que a Ferrari teve um começo desastroso, com seus pilotos enfrentando dificuldades em ultrapassar equipes consideradas “resto”, como a McLaren. Segunda, Racing Point e McLaren surgem como potenciais ameaças à Red Bull pelo posto de “equipe de ponta”. Terceira, a Mercedes começou com domínio em uma corrida fora do comum, mas talvez esse ano não tenha tanto sossego como nas temporadas anteriores.

A bruxa está solta em Spielberg. (Charge feita pela nossa nova colunista, Adriana Perantoni).

Notas

 

Corrida: 0-6

 

Pilotos

  1. Valtteri Bottas: 9
  2. Charles Leclerc: 7
  3. Lando Norris: 9
  4. Lewis Hamilton: 8,5
  5. Carlos Sainz Jr.: 7
  6. Sergio Pérez: 8,5
  7. Pierre Gasly: 7
  8. Esteban Ocon: 7
  9. Antonio Giovinazzi: 7
  10. Sebastian Vettel: 0
  11. Nicholas Latifi: 6

Abandonaram:

  1. Daniil Kvyat: 0
  2. Alexander Albon: 7,5
  3. Kimi Raikkonen: 0
  4. George Russell: 0
  5. Romain Grosjean: 0
  6. Kevin Magnussen: 0
  7. Lance Stroll: 10
  8. Daniel Ricciardo: 10
  9. Max Verstappen: 10

 (Observação: Esclarecendo as últimas notas, daremos 10 como nota de consolação a todos os pilotos que tiveram de abandonar a prova no começo por falhas no carro, seja no motor, na parte elétrica, no câmbio, nos freios, ou em qualquer outra parte).

Piloto do Dia (escolhido pelo público): Alexander Albon

Melhor piloto: Valtteri Bottas

Pior piloto: Sebastian Vettel