Posts

Análise GP da Austrália 2018

Hoje, dia 25 de março de 2018, ocorreu a primeira corrida da temporada de Fórmula 1 de 2018, o Grande Prêmio da Austrália. Marcada pela introdução do halo entre outras medidas tomadas pela Liberty Media, que comanda a competição desde 2017, o GP reforçou a opinião de muitos fãs da Fórmula 1: se a Liberty quer chamar mais público para o esporte, deve pensar bem se Austrália e Abu Dhabi são realmente as melhores opções para começar e encerrar o ano.

Largando da pole position, Lewis Hamilton liderou boa parte da corrida e segurou os ataques de Kimi Raikkonen. Sebastian Vettel se manteve constante no 3º lugar. As Red Bull de Max Verstappen e Daniel Ricciardo enfrentavam dificuldade para ultrapassar os carros da Haas, de Kevin Magnussen e Romain Grosjean. Valtteri Bottas, que largou em 15º, tirou toda a força de sua Mercedes para ultrapassar Esteban Ocon e Sergio Perez, protagonizando talvez as únicas ultrapassagens da corrida que não foram feitas graças a um abandono ou parada nos boxes do oponente.

A corrida teve mais frustrações além da falta de duelos consistentes e ultrapassagens. Sergey Sirotkin, da Williams, que teve resultados impressionantes nos treinos livres, foi o primeiro a abandonar devido a uma falha nos freios que, segundo ele, foi causada por uma embalagem plástica que entrou na carroceria. Marcus Ericsson e Pierre Gasly também deixaram a prova. Surpreendentemente, a dupla da Haas que aparecia como a zebra da vez, teve problemas com a roda e abandonaram. Uma pena para o time americano, já que Magnussen e Grosjean, que largaram em 5º e 6º respectivamente, faziam uma boa prova e buscavam colocar a Haas entre as 5 primeiras equipes do grid.

Raikkonen foi o primeiro dos pilotos de ponta a parar, sendo superado por Vettel. Hamilton parou depois, também perdendo posição para o alemão da Ferrari. O safety car virtual foi acionado depois do abandono de Grosjean e o final da corrida parecida definido. Apesar de todos os problemas do carro, incluindo uma rodada na pista, Verstappen se manteve consistente, e tomou a atitude correta ao devolver o 5º lugar para Fernando Alonso, a quem havia ultrapassado durante a bandeira amarela, evitando uma penalidade. Ricciardo pressionava Raikkonen, mas assim como Verstappen, conseguia se aproximar muito, mas não superava o adversário.

O Grande Prêmio da Austrália de 2018 terminou com a vitória de Vettel, vencedor da prova do ano passado. Hamilton foi segundo e Raikkonen completou o pódio. É muito cedo para prever como o ano será para os pilotos. Alguns foram beneficiados com as quebras e problemas dos adversários. Melbourne demonstrou mais uma vez que não é capaz de proporcionar momentos emocionantes. A corrida praticamente não teve ultrapassagens, houve vários abandonos e foram raros os momentos que chamavam a atenção. A plateia não parecida muito emocionada com a corrida e até mesmo a equipe da Ferrari comemorava timidamente a conquista de Vettel.

Notas

Corrida: 5 (monótona, sem ultrapassagens e com muitos problemas)

Pilotos:

Sebastian Vettel: 9 (foi beneficiado pelos pit stops de Raikkonen e Hamilton e pelo safety car, mas se manteve consistente)

Lewis Hamilton: 10 (se manteve bem durante toda a prova, o pit stop impediu sua vitória)

Kimi Raikkonen: 9 (mesmo com um pit stop rápido, não pode alcançar Hamilton e Vettel depois, mas segurou os ataques de Ricciardo)

Daniel Ricciardo: 10 (largou em 8º e teve forças para chegar em 4º e lutar com Raikkonen; na minha opinião o melhor piloto do dia)

Fernando Alonso: 8 (o driver of the day teve uma corrida consistente, mas foi ajudado pelas quebras dos pilotos da Haas e pelos problemas enfrentados por Verstappen)

Max Verstappen: 8 (enfrentou muitos problemas no carro e rodou na pista, mas seguiu com prudência e garantiu pontos para a equipe)

Nico Hülkenberg: 7 (conseguiu um bom resultado, mas não teve grandes feitos)

Valtteri Bottas: 8 (largando do 15º pois bateu no Q3 do treino classificatório, conseguiu um 8º lugar e fez boas ultrapassagens, porém é um resultado modesto para uma Mercedes)

Stoffel Vandoorne: 6 (boa colocação para sua equipe, mas passou despercebido na corrida)

Carlos Sainz Jr.: 6 (idem ao de cima)

Sérgio Perez: 5 (tem um bom carro e um bom motor, mas ficou fora da zona de pontuação)

Esteban Ocon: 5 (idem ao de cima)

Charles Leclerc:  0 (quem???? nem apareceu na transmissão)

Lance Stroll: 6 (o carro não ajudou muito)

Brendon Hartley: 1 (nem com todas as quebras conseguiu uma boa posição)

Romain Grosjean: 8 (se manteve bem na corrida, foi atrapalhado pela roda solta)

Kevin Magnussen: 8 (idem ao de cima)

Pierre Gasly: 6 (o motor atrapalhou, mas pelo menos correu um pouco)

Marcus Ericsson: 2 (teve problemas que o fizeram abandonar, mas sempre esteve lá atrás)

Sergey Sirotkin: 6 (fez um bom trabalho no final de semana, mas largou em 19º e o abandono não foi sua culpa)

Melhor piloto: Daniel Ricciardo (lutou muito!!!!)

Pior piloto: Brendon Hartley (sem palavras)