Análise Grande Prêmio do Japão de 2019 | 2019 Japanese Grand Prix Analysis

Ocorrido no dia 13 de outubro, durante o primeiro dia do feriado de Sucot, o Grande Prêmio do Japão de 2019 ocorreu poucas horas depois do treino classificatório, pois o tufão Hagibis atingiu o país durante a semana e seus ventos e chuvas poderiam colocar em risco a vida de todos os presentes no evento. Com a tempestade se deslocou para longe de Suzuka, o tempo para a corrida estava ensolarado, porém com muito vento.

Sebastian Vettel (Ferrari) foi o pole position e largou ao lado de seu companheiro de equipe, Charles Leclerc. Na segunda fila estavam os pilotos da Mercedes, Valtteri Bottas e Lewis Hamilton. Logo após a largada, Bottas ultrapassou Leclerc e Vettel e assumiu a liderança. Ainda na primeira volta, Leclerc jogou o carro em cima de Max Verstappen, tirando causando sérios danos ao carro do holandês, que mais tarde foi obrigado a abandonar a corrida. Os comissários primeiramente decidiram não investigar, depois voltaram atrás, mas decidiram investigar apenas depois da prova. Leclerc foi instruído pela equipe a parar nos boxes devido à asa quebrada, mas Charles não acatou, e um pedaço de sua asa acertou o carro de Hamilton. O monegasco só foi parar para a troca duas voltas depois. Mantendo a tradição da FIArrari, ops, FIA, os comissários decidiram não punir Vettel por ele ter queimado a largada, mesmo com o vídeo provando que ele o fez.

No meio do grid, Lance Stroll (Racing Point) fazia uma ótima prova, conseguindo boa posições, como oitavo e sétimo lugar. Porém o piloto canadense tinha muita dificuldade em ultrapassar Pierre Gasly (Toro Rosso), mesmo se aproximando bastante do piloto francês. Alexander Albon (Red Bull), que havia sido superado pela dupla da McLaren (Carlos Sainz Jr. e Lando Norris) também dava seu melhor e conseguiu ultrapassar os rivais. Nessa disputa, um choque entre ele e Norris fez o inglês parar no fundo do grid. Outro piloto que se destacou foi Daniel Ricciardo (Renault), que superou as consequências de um desempenho ruim da equipe nos treinos classificatórios e conseguiu boas posições ao longo da prova.

Hamilton e Vettel tinham desempenhos semelhantes, mas o inglês não conseguia ultrapassar o alemão. Temendo um undercut, a Ferrari chamou Vettel aos boxes para trocar os pneus antes da dupla da Mercedes. Bottas parou antes de Hamilton e com isso perdeu a liderança. Durante um tempo, Hamilton esteve à frente do grid, porém havia uma suspeita de manobra da escuderia alemã pois Bottas havia sido chamado aos boxes pela segunda vez e Lewis permaneceu na pista mesmo com pneus mais desgastados. No entanto, perto do fim, Hamilton fez a troca e a liderança da prova voltou para Bottas.

Na última volta, quando Hamilton estava quase ultrapassando Vettel, ocorreu um milagre: Sergio Pérez (Racing Point), foi acertado por Gasly e foi parar no muro. Sob bandeira amarela, todos os pilotos tiveram que reduzir suas velocidades. Depois da corrida, Leclerc foi punido com 15 segundos por causar uma colisão e não acatar as ordens de equipe, perdendo sua posição para Ricciardo.

Valtteri Bottas foi o vencedor, com Sebastian Vettel em segundo e Lewis Hamilton em terceiro. Com o resultado, a Mercedes ganhou o campeonato de construtores devido à vantagem de 15 segundos em relação à Ferrari (14 pontos em corrida e um ponto extra pela volta mais rápida de Hamilton). As decisões da FIA revelam três coisas: a segurança e a vida humana vêm antes do show, é possível fazer um grande prêmio com apenas dois dias de preparação, e não importa o quão errado estejam os pilotos da Ferrari, a FIA sempre vai ajudá-la.

Valtteri Bottas: o ninja da Mercedes

Notas

Corrida: 7,5

Pilotos

  1. Valtteri Bottas: 10
  2. Sebastian Vettel: 8
  3. Lewis Hamilton: 8
  4. Alexander Albon: 10
  5. Carlos Sainz Jr.: 8
  6. Daniel Ricciardo: 9,5 (desclassificado)
  7. Charles Leclerc: 0
  8. Pierre Gasly: 6
  9. Nico Hülkenberg: 6
  10. Lance Stroll: 7
  11. Daniil Kvyat: 6
  12. Lando Norris: 4
  13. Kimi Raikkonen: 4
  14. Romain Grosjean: 4
  15. Antonio Giovinazzi: 4
  16. Kevin Magnussen: 4
  17. George Russell: 4
  18. Robert Kubica: 4

Abandonaram

  1. Sergio Pérez
  2. Max Verstappen

 

Driver of the Day (escolhido pelo público): Valtteri Bottas

Melhores pilotos: Valtteri Bottas e Alexander Albon

Pior piloto: Charles Leclerc

Atualização 1: Devido a um erro no painel eletrônico de Suzuka, que deu a bandeirada antes da última volta, mesmo tendo batido, Sergio Pérez manteve o nono lugar e sua pontuação. Essa corrida conseguiu ser a segunda pior do ano, perdendo apenas para o GP da Itália.

Atualização 2: A Renault foi desclassificada da prova após uma fiscalização descobrir irregularidades em seus carros. Com isso, a punição de Charles Leclerc se torna praticamente anulada, pois devolve o monegasco para o sexto lugar. Pierre Gasly consegue o sétimo lugar, Sergio Pérez o oitavo (mesmo com o abandono), Lance Stroll o nono e Daniil Kvyat o décimo.

Análise GP do Japão de 2018

O Grande Prêmio do Japão de 2018, que aconteceu no dia 7 de setembro, trouxe um retrato da temporada de Fórmula 1 anterior. Estratégias maquiavélicas da Ferrari e o temperamento de seu primeiro piloto Sebastian Vettel permitiram que o líder do campeonato, Lewis Hamilton (Mercedes) abrisse 65 pontos de vantagem em relação ao segundo colocado. Com isso, apenas um milagre tira a taça de campeão das mãos do inglês.

Hamilton foi pole position, seguido pelo companheiro Valtteri Bottas. Vettel largou em 8º, beneficiado pela punição dada a Esteban Ocon (Force India). Logo no começo, a equipe italiana pôs em prática um de seus planos mirabolantes: Kimi Raikkonen forçou Max Verstappen (Red Bull) e os dois tiveram um pequeno toque, possibilitando que Vettel passasse o finlandês. Os comissários, “muuuuuuuuuuito imparciais”, resolveram punir Max com 5 segundos. Outros incidentes que chamaram a atenção foi a batida de Charles Leclerc (Sauber) em Kevin Magnussen (Haas) e o confronto entre Lance Stroll (Williams) e Fernando Alonso (McLaren). O primeiro caso não deu em nada a não ser um furo no pneu do piloto dinamarquês e seu pit stop adiantado. Já no segundo, ambos foram punidos.

Daniel Ricciardo (Red Bull) também fazia uma boa recuperação depois de largar em 15º lugar devido a um problema no motor. Vettel estava perto de Verstappen quando cometeu o maior erro desse ano: tentou ultrapassar em um ponto apertado, jogou o holandês para fora e rodou na pista, sendo ultrapassado por muitos competidores. Max se recuperou e, mesmo parando nos boxes para a troca de pneus e pagando a punição, voltou à frente de Raikkonen.

O restante da corrida foi marcado pelos abandonos de Magnussen, Nico Hülkenberg (Renault) e Leclerc, relacionados a falhas mecânicas (no caso do alemão foi uma batida não mostrada pelas câmeras). Hamilton liderava com folga, Vettel lutava para voltar ao topo e Bottas sofria com a aproximação do Furacão Max, que por pouco não lhe tomou o segundo lugar (a atuação patética de Alonso de não respeitar a bandeira azul e o fraco desempenho do motor Renault contribuíram para a situação).

Hamilton foi o vencedor, seguido por Bottas e Verstappen. Com a enorme vantagem em relação a Vettel, Lewis sai do Japão com mais pontos do que acumulou no ano passado inteiro. Embora o campeonato já esteja praticamente ganho pelo inglês, se quiser vencer os próximos, a Ferrari deve deixar esses planos maquiavélicos de lado e controlar o temperamento de Vettel, que comete erros bobos de maneira impetuosa e impulsiva. Estes erros lhe custam os títulos e a credibilidade como um tetracampeão merecido.

Notas

Corrida: 8

Pilotos

  1. Lewis Hamilton: 10
  2. Valtteri Bottas: 7
  3. Max Verstappen: 10
  4. Daniel Ricciardo: 10
  5. Kimi Raikkonen: 4 (ética zero)
  6. Sebastian Vettel: 7
  7. Sergio Perez: 8
  8. Romain Grosjean: 6
  9. Esteban Ocon: 8
  10. Carlos Sainz Jr.: 7
  11. Pierre Gasly: 6
  12. Marcus Ericsson: 4
  13. Brendon Hartley: 4
  14. Fernando Alonso: 3
  15. Stoffel Vandoorne: 3
  16. Sergey Sirotkin: 3
  17. Lance Stroll: 6

 

Abandonaram

  1. Charles Leclerc
  2. Nico Hülkenberg
  3. Kevin Magnussen

Driver of the Day (escolhido pelo público): Daniel Ricciardo

Melhores pilotos: Daniel Ricciardo e Max Verstappen

Pior piloto: Fernando Alonso

Dupla Dick Vigarista e Muttley do dia: Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen