Análise GP do Canadá de 2019 | 2019 Canadian GP Analysis

No dia 9 de junho de 2019 houve o Grande Prêmio do Canadá, no Circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, Quebec. Depois de uma decisão polêmica dos comissários em Mônaco, que tirou o pódio de Max Verstappen (Red Bull) e o entregou para Valtteri Bottas (Mercedes) e Sebastian Vettel (Ferrari), o alemão passou o holandês em pontos do campeonato. Hoje, Vettel provou do próprio veneno.

Largando na pole ao lado de Lewis Hamilton (Mercedes), que teve um problema de vazamento antes da largada, Vettel não enfrentou dificuldades no começo da prova. Seu companheiro Charles Leclerc largou em terceiro, ao lado de Daniel Ricciardo (Renault), que fez sua melhor colocação no ano. Verstappen enfrentou problemas na classificação e foi prejudicado com a bandeira vermelha causada pela batida de Kevin Magnussen (Haas). Mesmo largando em nono devido a isso, o holandês logo no começo ultrapassou Lando Norris (McLaren) com maestria. O jovem britânico foi o primeiro a abandonar a prova após seu carro pegar fogo. Alexander Albon (Toro Rosso) foi o primeiro a trocar os pneus. Romain Grosjean (Haas) e Antonio Giovinazzi (Alpha Romeo) tiveram um pequeno toque que fez o francês deixar a pista temporariamente.

Mesmo com problemas no carro, Hamilton seguiu firme e acompanhou o ritmo de Vettel. Bottas, por outro lado, tinha a ameaça de Verstappen logo atrás. Enquanto isso, Lance Stroll (Racing Point), piloto da casa, que largou em 17º guiou bem seu carro até o oitavo lugar, ultrapassando pilotos como Carlos Sainz Jr. (McLaren). Quando Bottas fez seu pit stop, teve dificuldades para ultrapassar Ricciardo. Verstappen estava de pneus duros e isso lhe garantiu resistência para chegar a uma boa colocação.

Mais tarde, dois incidentes chamaram a atenção. O primeiro foi entre Grosjean e Sergio Pérez (Racing Point) na curva 1. O francês tentou impedir o mexicano de fazer a ultrapassagem e os dois se tocaram. Pérez ganhou a posição e nada foi investigado. O segundo, mais marcante, foi entre os líderes. Vettel perdeu o controle do carro na curva 4 e parou na grama. Ele voltou para a pista em condições perigosas e forçou Hamilton para fora dos limites da pista. O inglês quase bateu. Por conta disso, os comissários puniram o alemão com 5 segundos. Vettel reclamou da decisão até o final. Perto do fim, Albon abandonou a corrida.

Apesar de Sebasian Vettel ter cruzado a linha de chegada em primeiro, Lewis Hamilton foi o vencedor. Vettel foi o segundo e Charles Leclerc em terceiro. Sebastian agiu da pior forma possível com o resultado. Não levou o carro até o lugar onde os três primeiros são estacionados, não participou da entrevista pré-pódio, fugiu para o paddock da Ferrari e, convencido pela equipe a participar do pódio, ele passou por dentro dos boxes da Mercedes e trocou as placas de 1º e 2º lugar, deixando o carro de Lewis com a placa de 2º e um grande vão onde estaria seu carro com a de 1º.  Na sala dos pilotos, ele ainda reclamou para Hamilton que “não havia para onde ir”. No pódio, ele foi convidado pelo inglês a dividir o lugar de vencedor. A torcida canadense, injustamente, vaiou com fúria o piloto da Mercedes e aplaudiu Leclerc e as atitudes infantis de Vettel. Quando Hamilton reclamou da atitude antiética dos torcedores, Vettel o interrompeu, disse que não concordava com as vaias, mas agradeceu ao apoio dos canadenses (que foram MUITO parciais e injustos). Lembramos que Max Verstappen e outros pilotos sofreram com decisões mais injustas e controversas e nem por isso agiram de maneira infantil. Vettel precisa aprender que a regra é para todos e que um homem de 31 anos não pode agir como uma criança mimada.

Vettel após a corrida

Notas

 

Corrida: 8

 

Pilotos

  1. Lewis Hamilton: 10
  2. Sebastian Vettel: 0
  3. Charles Leclerc: 9
  4. Valtteri Bottas: 7
  5. Max Verstappen: 10
  6. Daniel Ricciardo: 9
  7. Nico Hülkenberg: 7
  8. Pierre Gasly: 7
  9. Lance Stroll: 10 (grande atuação!!!!)
  10. Daniil Kvyat: 8
  11. Carlos Sainz Jr.: 7
  12. Sergio Pérez: 7
  13. Antonio Giovinazzi: 4
  14. Romain Grosjean: 3
  15. Kimi Raikkonen: 3
  16. George Russell: 2
  17. Kevin Magnussen: 2
  18. Robert Kubica: 2

 

Abandonaram

  1. Alexander Albon: 6
  2. Lando Norris: 0

 

Driver of the Day (escolhido pelo público): Sebastian Vettel

Melhores pilotos: Lewis Hamilton, Max Verstappen e Lance Stroll

Pior piloto: Sebastian Vettel (e um recado para os apresentadores do SporTV e pra torcida ferrarista do Canadá: aceitem que dói menos)

Análise GP do Canadá de 2018

O Grande Prêmio do Canadá de 2018 ocorreu no dia 9 de junho. O Circuito Gilles Villeneuve (minha pista favorita) contou com uma novidade: a tribuna Lance Stroll, que atraiu muitos fãs do piloto canadense da Williams. As expectativas eram grandes para a prova, e embora não tenha tantas emoções quanto outras corridas, esta conseguiu modificar o quadro do campeonato desse ano.

 

Tribuna Lance Stroll no Circuito Gilles Villeneuve: Jacques pira de inveja!!!!

 

Tribuna lotada pra ver Lance Stroll: agora que o Villeneuve infarta!

 

Valtteri Bottas (Mercedes) largou na segunda posição, dividindo a primeira fila com Sebastian Vettel (Ferrari) 😉 . Logo atrás vinham Max Verstappen (Red Bull) e Lewis Hamilton (Mercedes). Pouco tempo após a largada, Max tentou ultrapassar Valtteri, travando uma boa briga, mas não tomou a posição. Logo depois, Lance Stroll e Brendon Hartley (Toro Rosso) acabaram abandonando a prova devido a um acidente. Lance estava com um pneu furado, que desequilibrou o carro e saiu de traseira. Brendon foi na mesma direção de Lance, buscando ultrapassá-lo, mas acabou envolvido na colisão. O safety car foi acionado.

Verstappen e Hamilton foram para os boxes juntos e o holandês voltou à frente. Kimi Raikkonen (Ferrari), assumia o terceiro lugar, recuperando-se da ultrapassagem feita por Daniel Ricciardo (Red Bull) feita no começo da prova. O australiano parou no pit stop e voltou atrás de Max e à frente de Lewis. Quando Raikkonen fez sua parada, voltou atrás dos três. Enquanto isso, Vettel abria uma grande vantagem para Bottas.

Sergio Perez (Force India) quase abandonou após sair do traçado. Pelo rádio, ele culpou Carlos Sainz Jr. (Renault) e uma investigação foi feita pelos comissários. Não houve penalizações. Fernando Alonso (McLaren) teve um problema no exaustor e abandonou a prova.

Hamilton tentava a todo custo ultrapassar Ricciardo, mas o australiano levou a melhor em todos os momentos. Bottas teve um pit stop ruim e um pequeno travamento de rodas enquanto passava pelo retardatário Sainz. Embora Verstappen tenha diminuído a desvantagem (e conseguia manter Ricciardo a uma boa distância), o finlandês continuou à frente.

Vettel, que até então dava voltas cada vez mais rápidas, venceu a prova, com Bottas em segundo e Verstappen em terceiro. O GP do Canadá desse ano não foi muito emocionante, mas também está longe de ser uma corrida entediante (como foi o GP da Austrália). O alemão assumiu a liderança do campeonato, com um ponto de vantagem para Hamilton. Ou seja, agora a briga pelo título estará mais acirrada.

 

Pódio do GP do Canadá de 2018

 

Notas

Corrida: 8 (foi uma corrida boa: nem péssima, nem ruim)

Pilotos

  1. Sebastian Vettel: 10 (liderou a prova com maestria: ótimas voltas e garantiu uma boa vantagem em relação a Bottas)
  2. Valtteri Bottas: 9 (fez uma boa corrida, e escapou do perigo do furacão Max)
  3. Max Verstappen: 8,5 (depois de um fim de semana excelente, Max só não melhorou a posição porque os pneus estavam com risco de superaquecimento; mesmo assim, um pódio é um excelente resultado e quem torceu contra ele sifu…)
  4. Daniel Ricciardo: 8,5 (ao superar Raikkonen e Hamilton, Daniel garantiu uma boa pontuação; um resultado merecido)
  5. Lewis Hamilton: 6 (não apresentou ameaça a seus adversários)
  6. Kimi Raikkonen: 6 (idem acima)
  7. Nico Hülkenberg: 5 (igual a todas as corridas anteriores)
  8. Carlos Sainz Jr.: 4 (quase se envolveu em barbeiragens)
  9. Esteban Ocon: 8 (superou muitos desafios e alcançou um resultado modesto, porém não medíocre)
  10. Charles Leclerc: 3 (esse site não “premia” pilotos que não fazem quase NADA na corrida inteira e ainda levam elogios dos comentaristas da TV)
  11. Pierre Gasly: 2 (teve chances de alcançar Leclerc e a zona de pontuação, mas desperdiçou e quase foi ultrapassado por Grosjean)
  12. Romain Grosjean: 2 (teve uma performance ruim e ainda tentou culpar Ocon por isso)
  13. Kevin Magnussen: 4 (tentou ao máximo uma boa posição, mas a estratégia de pit stops da Haas não ajudou)
  14. Sergio Perez: 4 (também tentou uma boa posição, mas sua performance diante as curvas o atrapalhou)
  15. Marcus Ericsson: 3 (performance medíocre)
  16. Stoffel Vandoorne: 2 (segundo Stroll, o toque com Vandoorne furou seu pneu e causou o acidente)
  17. Sergey Sirotkin: 0,5 (até agora não mostrou o talento no qual Claire Williams confiou ao contratá-lo)
  18. Fernando Alonso: 6 (tinha dificuldades de passar Leclerc… um episódio lamentável para um bicampeão)
  19. Brendon Hartley: 0 (viu que Lance estava perdendo controle do carro e quis ir na mesma direção; pareceu que quis sofrer o segundo acidente consecutivo)
  20. Lance Stroll: 6 (Lance está comendo o pão que o diabo amassou nessa carroça da Williams, que toda corrida tem chance de concertar e toda corrida passa uma vergonha maior)

 

Driver of the Day (eleito pelo público): Sebastian Vettel

Melhor piloto: Sebastian Vettel

Pior piloto: Brendon Hartley (caçador de acidentes)