Análise Grande Prêmio de Singapura de 2019 | 2019 Singapore Grand Prix Analysis

Ocorrido no dia 22 de setembro, o Grande Prêmio de Singapura de 2019 teve um resultado inédito. Pela primeira vez na história, o Circuito de Marina Bay presenciava uma dobradinha (vencedor e segundo lugar da mesma equipe). Incrivelmente, os acidentes aconteceram no final da prova em vez do começo como é o costume.

Charles Leclerc (Ferrari) largou da pole position ao lado de Lewis Hamilton (Mercedes). Seu companheiro Sebastian Vettel e Max Verstappen (Red Bull) largaram da segunda fila. Embora Hamilton tenha prometido ser agressivo na largada, Leclerc conseguiu uma boa vantagem. Enquanto isso, no fim do grid, Daniel Ricciardo (Renault) largava em último após ser punido por conta de uma gambiarra no motor. Ainda no começo, semelhante a uma vingança, Alexander Albon (Red Bull) chocou-se contra Carlos Sainz Jr. (McLaren) e o espanhol foi obrigado a trocar os pneus mais cedo, indo para o fundo do grid.

As maiores brigas estavam no fim do grid. Ricciardo fazia uma boa prova de recuperação enquanto Lance Stroll (Racing Point) também conseguia boas ultrapassagens, como a em cima de Daniil Kvyat (Toro Rosso). Na frente do grid, Valtteri Bottas (Mercedes) se aproximava de Verstappen, porém não conseguia a ultrapassagem, e o mesmo acontecia entre Verstappen e Vettel e entre Hamilton e Leclerc.

A Ferrari adotou uma estratégia de troca de pneus que pudesse conter o avanço da Mercedes e garantir a vitória. Vettel trocou os pneus antes e Leclerc voltou atrás do alemão após a troca. Com a parada de Hamilton, Vettel, que havia ultrapassado todos os carros à frente que não haviam trocado os pneus ainda, assumiu a liderança. Leclerc reclamou de ter ficado atrás de Vettel até o final da prova.

O primeiro a abandonar a corrida foi George Russell (Williams), que se chocou com Romain Grosjean (Haas). O safety car foi acionado. Algumas voltas depois, sem o safety car, Sergio Pérez (Racing Point) teve problemas no motor e também abandonou, chamando novamente o safety car, que voltou à pista pela terceira e última vez após Kvyat bater em Kimi Raikkonen (Alpha Romeo) e tirar o finlandês da prova.

Sebastian Vettel foi o vencedor, com Charles Leclerc em segundo e Max Verstappen em terceiro. A Ferrari consegue um resultado histórico (primeira dobradinha de Singapura) e Vettel consegue uma vitória pessoal: não ganhava desde o GP da Bélgica de 2018 e nem ele nem seus fãs engolem a punição no GP do Canadá de 2019. Com o resultado, Leclerc e Verstappen estão empatados em terceiro lugar no campeonato, que mesmo com as reviravoltas, não sai tão fácil do colo de Lewis Hamilton.

Nosso site está passando por problemas e não consigo carregar as fotos. Veja a charge do dia no Instagram: https://www.instagram.com/p/B2t-TRDhLG5/

Notas

Corrida: 5

Pilotos

  1. Sebastian Vettel: 10
  2. Charles Leclerc: 9
  3. Max Verstappen: 9
  4. Lewis Hamilton: 8
  5. Valtteri Bottas: 7
  6. Alexander Albon: 7
  7. Lando Norris: 7
  8. Pierre Gasly: 0
  9. Nico Hülkenberg: 6
  10. Antonio Giovinazzi: 6
  11. Romain Grosjean: 5
  12. Carlon Sainz Jr.: 4
  13. Lance Stroll: 9
  14. Daniel Ricciardo: 9
  15. Daniil Kvyat: 0
  16. Robert Kubica: 3
  17. Kevin Magnussen: 3

Abandonaram

  1. 18. Kimi Raikkonen
  2. 19. Sergio Pérez
  3. 20. George Russell

Driver of the Day (escolhido pelo público): Sebastian
Vettel

Melhor piloto: Sebastian Vettel

Piores pilotos: Pierre Gasly e Daniil Kvyat


Análise GP de Singapura de 2018

O Grande Prêmio de Singapura de 2018, que aconteceu no dia 16 de setembro, teve como cenário a volta perfeita de Lewis Hamilton (Mercedes), que conquistou a pole position com 1:36.015. Max Verstappen (Red Bull) foi outro destaque, marcando 1:36.334 no treino classificatório e largando em segundo. Sebastian Vettel (Ferrari), vice-líder do campeonato, prometia fazer uma largada triunfal para surpreender os adversários, mas os instantes iniciais da corrida foram marcados por outra coisa.

Sergio Perez (Force India) se chocou com o companheiro Esteban Ocon e o francês acabou abandonando a prova na primeira volta. Poucos instantes depois, Vettel ultrapassou Verstappen e o safety car foi acionado. Apesar do ocorrido (idêntico ao incidente entre Max e Bottas no GP anterior, na Itália) a direção da prova NÃO puniu o mexicano: mais um capítulo da novela “Dois Pesos e Duas Medidas” que já dura muuuuuito tempo na Fórmula 1.

A vantagem do alemão para o holandês não durou muito. Vettel foi para os boxes e escolheu os pneus ultramacios. Hamilton e Valtteri Bottas (Mercedes) também fizeram suas paradas, colocando os pneus macios. Verstappen fez seu pit stop bem depois, porém voltou à frente de Vettel, com direito a disputa roda com roda que gerou vantagens para o jovem prodígio da Red Bull.

Com Kimi Raikkonen (Ferrari) e Daniel Ricciardo (Red Bull) fazendo as paradas, a liderança da prova voltou para Hamilton. Verstappen ficava cada vez mais rápido que Vettel. Na parte de trás do grid, Perez tinha dificuldades para ultrapassar Sergey Sirotkin (Williams) e se lançou em cima do russo. A manobra, porém, atrapalhou mais o mexicano, que além de perder pedaços da asa e ser obrigado a fazer um pit stop, recebeu uma punição de drive through pelo ocorrido.

Outro incidente que chamou a atenção ocorreu entre Sirotkin e Romain Grosjean (Haas). O francês travou uma briga com o russo, ignorando a bandeira azul e permitindo que Verstappen colasse em Hamilton (que se defendeu de uma possível ultrapassagem). Grosjean recebeu 5 segundos de punição. Sirotkin recebeu a mesma sentença ao forçar Brendon Hartley (Toro Rosso) para fora da pista, algumas voltas depois.

Lewis Hamilton foi o grande vencedor, com Max Verstappen em segundo e Sebastian Vettel em terceiro. O GP ainda contou com a volta mais rápida marcada por Kevin Magnussen (Haas), 1:41.072. A vantagem do inglês agora é de 30 pontos. A corrida reforçou as dificuldades enfrentadas pelos pilotos no Circuito Marina Bay, que proporciona uma das provas mais lindas da Fórmula 1 com seu show de luzes à noite. Ficamos no aguardo do GP da Rússia para sabermos o que virá pela frente na disputa do título de 2018.

 

Notas

Corrida: 8

Pilotos

  1. Lewis Hamilton: 10
  2. Max Verstappen: 10
  3. Sebastian Vettel: 7
  4. Valtteri Bottas: 7
  5. Kimi Raikkonen: 8
  6. Daniel Ricciardo: 8
  7. Fernando Alonso: 8
  8. Carlos Sainz Jr. 8
  9. Charles Leclerc: 6
  10. Nico Hülkenberg: 6
  11. Marcus Ericsson: 5
  12. Stoffel Vandoorne: 3 (nem apareceu na transmissão)
  13. Romain Grosjean: 1
  14. Pierre Gasly: 6
  15. Lance Stroll: 6
  16. Sergio Perez: 0 (não contente em bater em Ocon, bateu em Sirotkin: Perez tava mais barbeiro do que nunca)
  17. Brendon Hartley: 4
  18. Kevin Magnussen: 7 (resultado fraco, mas volta rápida surpreendente)
  19. Sergey Sirotkin: 5

Abandonou

20. Esteban Ocon:   (Ocon anda muito superestimado pelos fãs, mas não posso avaliar seu desempenho porque Perez o fez abandonar na primeira volta)

 

Driver of the Day (escolhido pelo público): Max Vertsappen

Melhores pilotos: Max Verstappen e Lewis Hamilton

Pior piloto: Sergio Perez

Estressadinho do dia: Sergio Perez