Análise Grande Prêmio da Turquia de 2020 | 2020 Turkish Grand Prix

Por Rebeca Pinheiro e Adriana Perantoni | By Rebeca Pinheiro and Adriana Perantoni

Ocorrido no dia 15 de novembro, o Grande Prêmio da Turquia de 2020 marcou a volta da Fórmula 1 ao país depois de nove anos. Um treino classificatório embaixo de chuva trouxe um grid de largada maravilhoso: pela primeira vez no ano, um piloto de uma equipe que não a Mercedes começa a prova do primeiro lugar. No entanto, imprevistos tornaram o resultado uma grande frustração.

Lance Stroll (Racing Point) largou da pole position ao lado de Max Verstappen (Red Bull). É a primeira vez que um canadense obtém a pole desde Jacques Villeneuve em 1997. Além disso, Stroll é o 101º piloto e o quinto mais jovem a ter esta conquista. Verstappen não teve uma boa largada e foi ultrapassado por vários concorrentes. Com o asfalto molhado, a primeira volta teve um toque entre Esteban Ocon (Renault) e Valtteri Bottas (Mercedes) e ambos saíram da pista, voltando logo em seguida, porém perdendo várias posições.

Na primeira metade da corrida não houve muitas ultrapassagens porque os pilotos buscaram dirigir cautelosamente. Lewis Hamilton (Mercedes) disputava o quinto lugar com Sebastian Vettel (Ferrari), mas saía da pista constantemente. Alexander Albon (Red Bull) acabou ultrapassando ambos. Com a troca de pneus de Stroll, Verstappen chegou a liderar a prova, mas depois de Sergio Pérez (Racing Point) parar nos boxes, a equipe chamou o holandês. Max e Checo lutaram pelo segundo lugar, com o mexicano à frente, mas o piloto da Red Bull rodou e perdeu a oportunidade de ultrapassar. O primeiro abandono foi de Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo), que estacionou seu carro na grama.

Muitos pilotos saíram prejudicados com a pista escorregadia. Um deles foi George Russell (Williams), que foi tocado por Lando Norris (McLaren). Parece que os comissários nem perceberam isso, mas notaram que Verstappen cruzou a linha do pit lane na saída dos boxes. Decidiram investigar o caso após a corrida.

Por incrível que pareça, a Racing Point se auto-sabotou: chamou Stroll para a troca de pneus, pois outros haviam feito o mesmo. No entanto, isso só prejudicou o canadense, cujo carro perdeu rendimento e, consequentemente, acabou terminando a prova em nono lugar. O maior beneficiado foi Hamilton, que depois de uma primeira metade de prova cheia de rodadas, fez um final de corrida quase sem erros (maneira semelhante à de Stroll até a burrada de sua equipe). Por outro lado, Bottas rodava mais e mais vezes, e por incrível que pareça continuou no páreo. Nicholas Latifi (Williams) e Romain Grosjean (Haas) se tocaram e o canadense abandonou a prova. O francês e seu companheiro de equipe Kevin Magnussen também se retiraram, mas próximo ao final da corrida.

Lewis Hamilton foi o vencedor, com Sergio Pérez em segundo e Sebastian Vettel em terceiro. O resultado do Grande Prêmio da Turquia de 2020 não foi como esperado, o que não significa que tenha sido dos melhores. Para melhor entendimento da questão, ler as opiniões das colunistas. Apesar de tudo, há uma coisa boa: Hamilton agora se consagrou heptacampeão mundial de Fórmula 1, igualando o recorde de Michael Schumacher.

A imagem fala por si própria.

Opinião da Rebeca:

A pole position de Lance Stroll é mais do que merecida. Sua estrela brilha cada vez mais forte. Ele e Max Verstappen são ótimos correndo na chuva. É uma pena que a capacidade cognitiva de seus estrategistas não seja diretamente proporcional. Mas isso não tira o valor da conquista.

Peço perdão a quem tenha gostado do resultado, mas eu particularmente não curti. Acredito que uma boa oportunidade de mudanças foi perdida por mais uma ideia jeguial da Racing Point. Entretanto, devemos continuar firmes e seguir em frente. Afinal, corridas são imprevisíveis e esta é a graça da Fórmula 1.

Opinião da Adriana:

Para mim, a corrida hoje foi agridoce. Mais uma vez vimos Lewis Hamilton provando sua grandeza ao conquistar mais um campeonato mundial, igualando Michael Schumacher e ele merece demais. Em um fim de semana que não foi perfeito, ele foi lá e mostrou do que é feito. O melhor do mundo fazendo o que sabe de melhor.

Outra coisa que me deixou muito feliz na corrida foi o segundo lugar de Pérez. O mexicano é bom, merece um lugar pro ano que vem e eu espero que consiga porque a performance de hoje foi perfeita.

Por outro lado, mais uma vez a Racing Point estragou a corrida de um de seus pilotos com uma estratégia péssima. Tantas equipes para copiarem e me copiam a Ferrari? Como diz um meme que eu amo usar: olha, sinceramente Britto… Stroll tinha tudo para ganhar sua primeira corrida, ganhar bons pontos para a equipe com uma sobrinha de primeiro e segundo lugar e eles fazem aquilo. Eu não tenho nem mais o que comentar sobre isso, além de que eu entendo os fãs do Checo agora.

Nunca achei Istambul Park aquele circuito todo, que muitos fãs alegam ser, e hoje a corrida foi extremamente anticlímax: prometeu mas não entregou nada. Não tenho dúvidas em quem escolher como melhor piloto, que é Hamilton. E como pior, assim como já fiz com a Renault antes, escolho uma equipe e esse prêmio vai para a Racing Point.

Notas

Corrida: 3 (Rebeca) | 5 (Adriana)

Pilotos

  1. Lewis Hamilton: 9 (Rebeca) 10 (Adriana)
  2. Sergio Pérez: 10 (Rebeca e Adriana)
  3. Sebastian Vettel: 4 (Rebeca)
  4. Charles Leclerc: 4 (Rebeca) 8 (Adriana)
  5. Max Verstappen: 5 (Rebeca) 7 (Adriana)
  6. Alexander Albon: 5,5 (Rebeca) 6 (Adriana)
  7. Lando Norris: 4 (Rebeca) 8 (Adriana)
  8. Lance Stroll: 10 (Rebeca: você é maravilhoso, mas sua equipe que não presta) 9 (Adriana)
  9. Daniel Ricciardo: 6 (Rebeca) 7 (Adriana)
  10. Esteban Ocon: 4 (Rebeca) 6 (Adriana)
  11. Daniil Kvyat: 3 (Rebeca) 6 (Adriana)
  12. Pierre Gasly: 6 (Rebeca e Adriana)
  13. Valtteri Bottas: 2 (Rebeca) 4 (Adriana)
  14. Kimi Raikkonen: 4 (Rebeca e Adriana)
  15. George Russell: 4 (Rebeca e Adriana)

 

Abandonaram

  1. Kevin Magnussen
  2. Romain Grosjean
  3. Nicholas Latifi
  4. Antonio Giovinazzi

Piloto do Dia (escolhido pelo público): Sebastian Vettel (definitivamente, a voz do povo NÃO é a voz de Deus)

Melhor piloto: Lance Stroll (Rebeca) | Lewis Hamilton (Adriana)

Pior piloto: Valtteri Bottas (Rebeca e Adriana)

Pior equipe: Racing Point