Análise Grande Prêmio da Espanha de 2020 | 2020 Spanish Grand Prix Analysis

Por Rebeca Pinheiro e Adriana Perantoni | By Rebeca Pinheiro and Adriana Perantoni

Ocorrido no dia 16 de agosto, o Grande Prêmio da Espanha de 2020 foi uma corrida emocionante. Realizada no Circuito da Catalunha, a prova teve disputas impressionantes e uma boa amostra do trabalho dos estrategistas, fundamentais para o resultado final.

Lewis Hamilton (Mercedes) largou da pole position ao lado de Valtteri Bottas, seu companheiro de equipe. Max Verstappen (Red Bull) e Sergio Pérez (Racing Point) completaram a segunda fila. Mas a surpresa da largada foi Lance Stroll (Racing Point), que fez uma brilhante ultrapassagem em cima de Pérez e Bottas. O canadense se manteve à frente do finlandês por muito tempo. Verstappen assumiu a segunda posição.

No final da parte do meio do grid, Sebastian Vettel (Ferrari) era ameaçado por Daniil Kvyat (Alpha Tauri) e Kimi Raikkonen (Alfa Romeo) se defendia de Esteban Ocon (Renault). Algumas voltas depois, outro piloto se juntaria a essas brigas. Alexander Albon (Red Bull) não conseguia se aproximar da dupla da Racing Point. Com a troca de pneus, ele foi parar próximo ao fim do grid. O tailandês teve algumas dificuldades para recuperar as posições.

Verstappen teve atritos com a equipe por causa do gerenciamento dos pneus. Em suas duas paradas, o holandês conseguiu superar Bottas, mas permaneceu atrás de Hamilton. Enquanto isso, Charles Leclerc (Ferrari) perseguia Lando Norris (McLaren), mas seu carro simplesmente desligou, parando em cima de uma curva. O monegasco conseguiu religá-lo e levá-lo para os boxes para se retirar da corrida. Seu abandono foi o único da prova. Pouco depois, Albon enfrentou Carlos Sainz Jr. (McLaren) e os dois quase bateram.

Alguns pilotos demoraram mais para fazer a troca de pneus do que outros. Consequentemente, muitas posições mudariam. Mas mesmo aqueles que só haviam feito uma parada também foram superados na pista. Daniel Ricciardo (Renault) e Vettel foram alguns exemplos. Ambos foram ultrapassados por Stroll. Perto do fim, Pérez e Kvyat receberam punições de cinco segundos por não respeitarem a bandeira azul. O mexicano permaneceu na pista, seguindo a melhor estratégia, pois se parasse para uma troca, perderia mais tempo.

Lewis Hamilton foi o vencedor, com Max Verstappen em segundo e Valtteri Bottas em terceiro. As corridas no Circuito da Catalunha tendem a precisar do safety car, mas felizmente ele não foi necessário e os pilotos puderam duelar livremente. Apesar do ponto extra pela volta mais rápida, Bottas se mantém atrás de Verstappen no campeonato de pilotos. A Racing Point faz outra corrida excelente, com Lance Stroll vencendo seus adversários e Sergio Pérez mantendo o ritmo que tinha antes de sua pausa devido à Covid-19. A Ferrari e a McLaren, por outro lado, não tiveram sorte. Aguardaremos qual dessas três equipes terá a melhor posição no campeonato.

Qual o feito de Vettel hoje? Perder para todo mundo? Esse é o Driver of the Day…

Opinião da Rebeca:

A edição deste ano do Grande Prêmio da Espanha foi gratificante, pois houve boas disputas durante a prova que garantiram a emoção da corrida. Lance Stroll foi um dos maiores destaques, conseguindo ultrapassar adversários experientes, como Daniel Ricciardo e Sebastian Vettel (este em uma Ferrari). Isso mostra que tanto ele quanto seu companheiro Sergio Pérez proporcionam resultados formidáveis para a Racing Point, uma das equipes mais invejadas esse ano. Mas não adianta, a Renault pode lançar mil protestos, pode recorrer até o papa, nada vai tirar o talento dos pilotos da Racing Point.

Opinião da Adriana:

Essa temporada começou promissora e agora, todas as corridas são previsíveis. O circuito de Barcelona não é conhecido por proporcionar corridas emocionantes e essa não fugiu do padrão.

Mais uma vez, tivemos algumas disputas entre as equipes intermediárias, mas nada muito emocionante. A largada de Stroll foi sensacional e o baile que ele deu em Bottas nas primeiras voltas mostrou que não basta ter apenas um carro bom, é preciso ser um bom piloto também. 

A rodada de Leclerc mostra que até mesmo com seu primeiro piloto, a Ferrari ainda tem dificuldade em ter um bom ritmo de corrida. A estratégia de Vettel em ficar até o final com seu jogo de pneus lhe rendeu bons pontos, mas o alemão ainda sofre com esse chassi.

Mesmo com a punição de 5 segundos por ignorar a bandeira azul, Pérez é o melhor piloto da corrida para mim. Conseguiu se recuperar da Covid, voltou à pista depois de duas corridas, foi o melhor do resto e conseguiu manter um bom ritmo durante as 55 voltas, somando mais um bom resultado na temporada.

Notas

Corrida: 9 (Rebeca) 7 (Adriana)

Pilotos

  1. Lewis Hamilton: 10 (Rebeca) 9 (Adriana)
  2. Max Verstappen: 10 (Rebeca) 8,5 (Adriana)
  3. Valtteri Bottas: 7 (Rebeca e Adriana)
  4. Lance Stroll: 10 (Rebeca) 8,5 (Adriana)
  5. Sergio Pérez: 9 (Rebeca e Adriana)
  6. Carlos Sainz Jr.: 8 (Rebeca e Adriana)
  7. Sebastian Vettel: 6 (Rebeca) 7 (Adriana)
  8. Alexander Albon: 8 (Rebeca) 7 (Adriana)
  9. Pierre Gasly: 8 (Rebeca e Adriana)
  10. Lando Norris: 6 (Rebeca) 7,5 (Adriana)
  11. Daniel Ricciardo: 6 (Rebeca) 7 (Adriana)
  12. Daniil Kvyat: 6 (Rebeca e Adriana)
  13. Esteban Ocon: 5 (Rebeca) 6 (Adriana)
  14. Kimi Raikkonen: 7 (Rebeca) 7 (Adriana)
  15. Kevin Magnussen: 4 (Rebeca) 6 (Adriana)
  16. Antonio Giovinazzi: 4 (Rebeca) 6 (Adriana)
  17. George Russell: 4 (Rebeca) 5 (Adriana)
  18. Nicholas Latifi: 4 (Rebeca) 5 (Adriana)
  19. Romain Grosjean: 3 (Rebeca) 4 (Adriana)

 

Abandonou:

  1. Charles Leclerc: 8 (Rebeca) 0 (Adriana)

Driver of the Day (escolhido pelo público): Sebastian Vettel

Melhor piloto: Lance Stroll (Rebeca) | Sergio Pérez (Adriana)

Pior piloto: Romain Grosjean (Rebeca e Adriana)

Análise GP da Espanha de 2019 | 2019 Spanish GP Analysis

No dia 12 de maio, Dia das Mães no Brasil, ocorreu o Grande Prêmio da Espanha de 2019. Muitos consideram que a temporada de Fórmula 1 começa oficialmente com essa corrida. O Circuito da Catalunha foi palco de momentos inesquecíveis, como a edição de 2016, na qual Lewis Hamilton e Nico Rosberg, a dupla da Mercedes, se chocaram e causaram um duplo abandono, possibilitando a vitória de Max Verstappen, que quebrou quatro recordes naquela corrida.

Valtteri Bottas (Mercedes) fez a pole position, largando ao lado de Lewis Hamilton, seu companheiro de equipe. Sebastian Vettel (Ferrari) e Max Verstappen (Red Bull) completaram a segunda volta. Pouco após a largada, Vettel se arriscou entre as Mercedes e permitiu que Hamilton ultrapassasse Bottas. Charles Leclerc (Ferrari) quase ultrapassou Verstappen, mas não teve sucesso. Na parte de trás do grid, Daniel Ricciardo (Renault) fazia boas ultrapassagens.

Mais tarde, com Verstappen se distanciando das Ferraris, a equipe italiana ordenou a Vettel que deixasse Leclerc passar (sim, isso aconteceu), pois o piloto monegasco estava mais rápido. Cumprida a ordem, Vettel fez o pit stop, mas um erro na troca do pneu traseiro esquerdo fez a parada levar 4.4 segundos e o alemão cair para décimo lugar. Percebendo a estratégia da concorrente, a Red Bull chamou Verstappen aos boxes, mas trocou os pneus macios por outros do mesmo tipo com menos voltas. Como a regra era de usar pelo menos dois compostos diferentes, Max teria que fazer outra troca mais tarde. O pit stop foi bem sucedido e o holandês recuperou com facilidade as duas posições perdidas.

Bottas não conseguia alcançar Hamilton e a Ferrari percebeu que a estratégia de deixar Leclerc passar para tentar alcançar Verstappen não deu muito certo. No meio do pelotão, Daniil Kvyat (Toro Rosso) e Kimi Raikkonen (Alpha Romeo) protagonizaram uma boa disputa de posições, com o russo levando a melhor.

Não faltando muito para o final da prova, Lando Norris (McLaren) colidiu com Lance Stroll (Racing Point) e ainda direcionou o carro para a brita, sujando a pista. O inglês demonstrou um comportamento antiético ao xingar o canadense no rádio, mesmo os comissários definindo que este era inocente. Com o abandono de ambos, o safety car foi acionado. Hamilton aproveitou para trocar os pneus, que estavam com bolhas, e Leclerc fez o mesmo, perdendo a posição para Verstappen. A limpeza da pista foi demorada e o inglês segurou o grid por um bom tempo após o fim do safety car. Max se aproximava de Bottas, mas não conseguiu ultrapassá-lo. Mesmo resistente, Leclerc acabou superado por Vettel e quase que Pierre Gasly (Red Bull) o ultrapassa também. Logo depois, os carros da Haas, guiados por Romain Grosjean e Kevin Magnussen, se envolveram em brigas que levaram o dinamarquês a sair da pista duas vezes.

Lewis Hamilton foi o vencedor, com Valtteri Bottas em segundo e Max Verstappen em terceiro. Com a volta mais rápida, Hamilton também levou um ponto extra e se mantém como líder do campeonato. A situação é semelhante à de 2016, com a Mercedes dominando, a Red Bull surgindo como uma segunda potência e a Ferrari apresentando dificuldades (só não está em terceiro porque os resultados de Gasly são inferiores aos de Leclerc). Porém, ainda faltam muitas corridas para se concluir algo sobre o campeonato.

Feliz Dia das Mães!!!

Notas

Corrida: 7,5

Pilotos

1. Lewis Hamilton: 10
2. Valtteri Bottas: 9
3. Max Verstappen: 10
4. Sebastian Vettel: 8
5. Charles Leclerc: 9
6. Pierre Gasly: 8
7. Kevin Magnussen: 7
8. Carlos Sainz Jr.: 6
9. Daniil Kvyat: 6
10. Romain Grosjean: 6
11. Alexander Albon: 6
12. Daniel Ricciardo: 8
13. Nico Hülkenberg: 6
14. Kimi Raikkonen: 6
15. Sergio Pérez: 6
16. Antonio Giovinazzi: 5
17. George Russell: 2
18. Robert Kubica: 2

Abandonaram
19. Lance Stroll: 6
20. Lando Norris: 0

Driver of the Day (escolhido pelo público): Max Verstappen
Melhores pilotos: Max Verstappen e Lewis Hamilton
Pior piloto: Lando Norris

Análise GP da Espanha 2018

O Grande Prêmio da Espanha de 2018, ocorrido no dia 13 de maio, foi uma daquelas corridas que dividem opiniões. Apesar do Circuito da Catalunha não ser favorável para ultrapassagens, acidentes e estratégias de pit stop permitiram que a cara do grid mudasse várias vezes. Agrada quem gosta de mudanças, mas desagrada aqueles que não curtem muitos abandonos.

A pole foi de Lewis Hamilton (Mercedes), dividindo a primeira fila com o companheiro Valtteri Bottas. Em seguida vinha a dupla da Ferrari e a da Red Bull. Pouco tempo após a largada, Romain Grosjean (Haas) rodou, colocou o carro desgovernado de volta à pista e bateu em Nico Hülkenberg (Renault) e em Pierre Gasly (Toro Rosso), acabando com a prova dos três. O safety car foi acionado, mas mesmo sendo impedido de ultrapassar, Sebastian Vettel (Ferrari) demostrou que estava sedento pela vitória. Com o fim do safety car, ele tomou o segundo lugar de Bottas e começou a caça por Hamilton.

Vettel tentou dar um undercut, trocando os pneus primeiro. Bottas foi o próximo. Hamilton aumentava a vantagem para os adversários. Porém, algo surpreendente aconteceu depois: Kimi Raikkonen (Ferrari), não ser superado por Max Verstappen (Red Bull), foi forçado a abandonar. Após o pit stop de Hamilton, Verstappen liderou a prova e o inglês, com prudência, esperou o holandês parar nos boxes para retomar a liderança.

No meio do grid, as Force Indias de Sergio Perez e Esteban Ocon passavam por muitos problemas. Enquanto Fernando Alonso (McLaren) aumentava a vantagem para o francês, o mexicano sofria para tentar ultrapassar Lance Stroll (Williams) e não ser superado por Stoffel Vandoorne (McLaren), que tinha uma punição de 5 segundos para cumprir por uma conduta irregular após o acidente de Grosjean.

Ocon teve um problema de motor e foi forçado a abandonar. O safety car virtual foi acionado. Durante esse tempo, uma colisão com Stroll quebrou um pedaço da asa dianteira de Verstappen, mas parece que isso não afetou muito o desempenho do jovem da Red Bull. Vettel, que estava atrás dele, tentava a ultrapassagem, mas não conseguia sequer aproximar. Sergey Sirotkin (Williams) rodou, mas não causou maiores danos e continuou a prova. Vandoorne abandonou pouco tempo depois, também por falhas no motor.

A prova terminou com Hamilton vencedor, seguido por Bottas e Verstappen. O GP mostrou que a determinação do piloto pode superar muitos problemas, além de que a pista espanhola não impossibilita tanto as ultrapassagens como a de Mônaco e da Austrália. Já é a terceira corrida seguida que Vettel não consegue um pódio, aumentando a vantagem de Hamilton. O ano de 2018 surpreende cada vez mais.

Notas

Corrida: 10 (muitas emoções devido aos abandonos e ultrapassagens)

Pilotos:

Lewis Hamilton: 10 (se manteve constante e prudente durante toda a prova e conquistou mais uma vitória)

Valtteri Bottas: 9 (mesmo com problemas nos pneus, conseguiu um bom resultado)

Max Verstappen: 10 (mostrou toda a sua capacidade de superação, conquistando um merecido pódio mesmo com a asa quebrada)

Sebastian Vettel: 8 (foi perdendo rendimento ao longo da prova, mas foi prudente ao não disputar o terceiro lugar com Verstappen – lembrem do que aconteceu na China…)

Daniel Ricciardo: 7 (não foi seu melhor dia, mas um quinto lugar está muito bom)

Kevin Magnussen: 9 (excelente resultado para o piloto e a equipe, além de se manter longe de erros)

Carlos Sainz Jr.: 9 (idem acima)

Fernando Alonso: 9 (lutou muito para fazer ultrapassagens, como a em cima de Leclerc, e garantiu uma boa posição)

Sergio Perez: 9 (idem acima, até na ultrapassagem)

Charles Leclerc: 9 (o pit stop o colocou em penúltimo, mas foi superando cada obstáculo até chegar aos pontos)

Lance Stroll: 6 (como sempre:  por culpa do carro, uma boa largada morre na praia)

Brendon Hartley: 5 (superou o terrível acidente no terceiro treino livre, mas não surpreendeu)

Marcus Ericsson: 3 (pelo menos tentou manter a posição, mesmo não conseguindo)

Sergey Sirotkin: 2 (roda a roda, Sergey)

Stoffel Vandoorne: 3 (não surpreendeu e ainda levou uma punição)

Esteban Ocon: 6 (teve muitos problemas no carro, mas tentou dar o melhor de si nessas condições)

Kimi Raikkonen: 6 (uma pena que seu carro o tenha feito abandonar, mas estava quase levando um olé do Verstappen)

Nico Hülkenberg:  (o coitado teve a roda arrancada e não teve nem tempo de fazer nada)

Pierre Gasly:  (idem acima)

Romain Grosjean: 0 (acidente que poderia ter sido evitado se tivesse parado na brita em vez de devolver o carro para a pista em condições perigosas)

Driver of the Day (votado pelo público): Lewis Hamilton

Melhor piloto: Max Verstappen (nem asa quebrada para esse menino!)

Pior piloto: Romain Grosjean (como diria Dona Florinda: “e da próxima vez, vá quebrar os carros da sua avó! ”)