Análise Grande Prêmio da Áustria de 2020 | 2020 Austrian Grand Prix Analysis

Ocorrido no dia 05 de julho, o Grande Prêmio da Áustria de 2020 foi a primeira corrida da temporada, já que a pandemia de Covid-19 provocou o cancelamento e adiamento das etapas anteriores. Havia muita expectativa, mas a corrida foi um desastre. Muitos abandonos, poucas ultrapassagens e punições questionáveis. Antes da prova, houve uma manifestação contra o racismo na qual os pilotos se ajoelharam. Dos 20 atletas, seis se recusaram a se ajoelhar: Daniil Kvyat (Alpha Tauri), Carlos Sainz Jr. (McLaren), Kimi Raikkonen (Alfa Romeo), Max Verstappen (Red Bull), Charles Leclerc (Ferrari) e Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo). Desses seis, três abandonaram.

Valtteri Bottas (Mercedes) foi o pole position. Com a punição de seu companheiro Lewis Hamilton, Verstappen largou em segundo. Logo após a largada, houve algumas disputas, como entre Verstappen e Lando Norris (McLaren) e entre Sebastian Vettel (Ferrari) e Daniel Ricciardo (Renault). Infelizmente, os acidentes não tardaram a vir. Verstappen foi o primeiro a abandonar quando seu carro desligou subitamente. Quando o holandês abandona, é quase certeza que a corrida vai ser a pior e mais chata possível, porque Max sabe como dar um show na pista (vide a disputa com Leclerc no ano passado). Pouco depois, Ricciardo teve uma falha mecânica e se retirou da prova e o motor de Lance Stroll (Racing Point), que havia largado em nono, o fez abandonar a corrida. Vettel rodou após uma disputa com Sainz, foi para o fundo de grid e lá permaneceu.

Kevin Magnussen (Haas) rodou e foi parar na caixa de brita. Com isso, o safety car foi acionado. Sergio Pérez (Racing Point) e Alexander Albon (Red Bull) disputavam o terceiro lugar. Anteriormente, o mexicano enfrentou dificuldades para superar Norris. Com a relargada, Romain Grosjean (Haas) e George Russell (Williams) deixaram a corrida.

Na frente do grid, após uma disputa com Pérez, Albon tentou ultrapassar Hamilton, mas foi tocado pelo inglês e saiu da pista. Hamilton, que planejava uma manifestação antirracista no pódio, levou uma punição de 5 segundos. Pérez foi igualmente punido por ter ultrapassado a velocidade máxima permitida no pit lane. Enquanto isso, Leclerc sofria para ultrapassar Norris. Após a ultrapassagem do monegasco, Sainz tentou superar o companheiro, mas não conseguiu. No fim da prova, Raikkonen passou pela zebra e perdeu uma roda do carro. Kvyat quebrou a suspensão e também abandonou.

Valtteri Bottas foi o grande vencedor. Lewis Hamilton cruzou a linha de chegada em segundo, porém com a punição, Charles Leclerc herdou o segundo lugar e Lando Norris ficou em terceiro. Sinceramente, nenhuma das colunistas do site tinha vontade de analisar a prova, pois corrida monótona e com muitas quebras não são de nosso agrado (principalmente quando pilotos pelos quais temos grande carinho abandonam logo no começo). No entanto, reconhecemos o bom trabalho dos atletas e tiramos algumas conclusões. A primeira é que a Ferrari teve um começo desastroso, com seus pilotos enfrentando dificuldades em ultrapassar equipes consideradas “resto”, como a McLaren. Segunda, Racing Point e McLaren surgem como potenciais ameaças à Red Bull pelo posto de “equipe de ponta”. Terceira, a Mercedes começou com domínio em uma corrida fora do comum, mas talvez esse ano não tenha tanto sossego como nas temporadas anteriores.

A bruxa está solta em Spielberg. (Charge feita pela nossa nova colunista, Adriana Perantoni).

Notas

 

Corrida: 0-6

 

Pilotos

  1. Valtteri Bottas: 9
  2. Charles Leclerc: 7
  3. Lando Norris: 9
  4. Lewis Hamilton: 8,5
  5. Carlos Sainz Jr.: 7
  6. Sergio Pérez: 8,5
  7. Pierre Gasly: 7
  8. Esteban Ocon: 7
  9. Antonio Giovinazzi: 7
  10. Sebastian Vettel: 0
  11. Nicholas Latifi: 6

Abandonaram:

  1. Daniil Kvyat: 0
  2. Alexander Albon: 7,5
  3. Kimi Raikkonen: 0
  4. George Russell: 0
  5. Romain Grosjean: 0
  6. Kevin Magnussen: 0
  7. Lance Stroll: 10
  8. Daniel Ricciardo: 10
  9. Max Verstappen: 10

 (Observação: Esclarecendo as últimas notas, daremos 10 como nota de consolação a todos os pilotos que tiveram de abandonar a prova no começo por falhas no carro, seja no motor, na parte elétrica, no câmbio, nos freios, ou em qualquer outra parte).

Piloto do Dia (escolhido pelo público): Alexander Albon

Melhor piloto: Valtteri Bottas

Pior piloto: Sebastian Vettel

Análise GP da Áustria de 2019 | 2019 Austrian GP Analysis

Ocorrido no dia 30 de junho de 2019, o Grande Prêmio da Áustria foi a corrida mais surpreendente do ano. Começou de um jeito e terminou de outro. Emocionante ao máximo, a prova se destacou pelas inúmeras ultrapassagens e pelos quase infinitos fãs de Max Verstappen (Red Bull), vestidos de cor de laranja, que vieram prestigiar o jovem prodígio da Fórmula 1.

Charles Leclerc (Ferrari) largou da pole position. Como Lewis Hamilton (Mercedes) foi punido por atrapalhar Kimi Raikkonen (Alpha Romeo), não pôde largar ao lado do jovem. A segunda posição foi herdada por Verstappen. Logo na largada, o carro de Verstappen apresentou problemas e o holandês caiu de 2º para 7º lugar. Tudo parecida perdido. Ledo engano.

Sebastian Vettel (Ferrari), que largou em 9º, teve facilidade para ultrapassar Lando Norris (McLaren) e foi guiando seu carro para o 3º lugar. Por outro lado, Pierre Gasly (Red Bull) decepcionou mais uma vez e teve enormes dificuldades para ultrapassar pilotos como Norris e Raikkonen. Hamilton acabou passando duas vezes em cima de uma zebra alta e teve problemas na asa. Seu companheiro Valtteri Bottas nem sequer se aproximava de Leclerc.

Verstappen ultrapassava seus adversários de maneira tímida. Poucos acreditavam em seu sucesso (apenas 9% dos espectadores da Globo acreditavam em vitória). Mas quando chegou a vez dos pit stops, tudo mudou. Vettel teve uma parada vergonhosa, com os mecânicos se atrapalhando e fazendo o alemão perder posições preciosas. Quando Hamilton assumiu a liderança, conseguiu uma boa distância, perdida no pit stop de 11 segundos no qual trocou a asa dianteira. Verstappen tornou-se o líder antes de parar. Leclerc voltou à liderança.

Mas, inacreditavelmente, Verstappen voltou com força máxima. Voltando para a pista à frente de Hamilton, ele passou Vettel com facilidade. Bottas estava longe, mas a diferença foi caindo gradativamente. O finlandês também foi superado e o holandês começou a caça a Leclerc.

Leclerc deu tudo o que pôde, mas não conseguiu impedir a chegada do Furacão Max. Verstappen superava cada retardatário e chegava bem perto do monegasco. Faltando duas voltas para o fim, os dois se encontraram de forma violenta e Max levou a melhor. Leclerc havia tentado segurar sua posição colocando-se ao lado do holandês e acabou saindo para fora. Até o fechamento dessa matéria, o resultado da investigação ainda não saiu.

Max Verstappen foi o brilhante vencedor da prova. Charles Leclerc foi o segundo e Valtteri Bottas foi o terceiro. Essa é a 6ª vitória de Max na carreira, segunda dele em Spielberg, e primeira vitória de uma equipe que não a Mercedes esse ano. Max deu um show de perseverança e trabalho duro, ultrapassou seus adversários com maestria e deu um espetáculo maravilhosamente incrível para seus fãs. Leclerc, pelo contrário, permaneceu com cara de luto no pódio, parecendo a Cinderela quando a madrasta tentou impedi-la de provar o sapatinho de cristal. Não é à toa que Max é chamado por muitos de “A reincarnação de Ayrton Senna”.

Atualização 1: Os comissários decidiram que não houve irregularidades. A vitória do Max foi mantida e o Leclerc ficou de mimimi.

Max Verstappen: o verdadeiro Furacão Max

Notas

 

Corrida: 10

 

Pilotos

 

  1. Max Verstappen: 10
  2. Charles Leclerc: 9
  3. Valtteri Bottas: 8
  4. Sebastian Vettel: 9
  5. Lewis Hamilton: 8
  6. Lando Norris: 7
  7. Pierre Gasly: 2
  8. Carlos Sainz Jr.: 7
  9. Kimi Raikkonen: 8
  10. Antonio Giovinazzi: 8
  11. Sergio Pérez: 6
  12. Daniel Ricciardo: 6
  13. Nico Hülkenberg: 6
  14. Lance Stroll: 6
  15. Alexander Albon: 6
  16. Romain Grosjean: 6
  17. Daniil Kvyat: 3
  18. George Russell: 3
  19. Kevin Magnussen: 3
  20. Robert Kubica: 3

 

Driver of the Day (escolhido pelo público): Max Verstappen

Melhor piloto: Max Verstappen

Pior piloto: Pierre Gasly (quanto sofrimento pra passar o Norris, Raikkonen e Ricciardo, hein… isso porque está na Red Bull… imagine na Williams…)

Atualização 2: A Fórmula 1 havia noticiado Robert Kubica como o Driver of the Day, no entanto foi confirmado pela própria que tudo não passou de um engano e o verdadeiro Driver of the Day foi Max Verstappen.

Análise GP da Áustria de 2018

O Grande Prêmio da Áustria de 2018 aconteceu no dia 1º de julho, aniversário de Daniel Ricciardo (Red Bull). A liderança do campeonato mudou mais uma vez: Sebastian Vettel (Ferrari) é agora o primeiro colocado, com a vantagem de um ponto para Lewis Hamilton (Mercedes). Mas o destaque do dia, sem dúvida nenhuma, foi Max Verstappen (Red Bull) e sua torcida que lotou as arquibancadas do Red Bull Ring.

Valtteri Bottas (Mercedes) foi o pole position, seguido por Hamilton. Em seguida vinha Kimi Raikkonen (Ferrari) e Verstappen. Quando foi dada a largada, o ferrarista quis ultrapassar as duas Mercedes e acabou em segundo depois de sair temporariamente da pista (que os senhores comissários nem perceberam, né?). Bottas acabou perdendo posições, Hamilton assumiu a ponta e Verstappen superou Raikkonen logo depois. Stoffel Vandoorne (McLaren) acabou se tocando com os adversários (pra variar…), deixou pedaços do carro na pista (acionando o safety car) e parou nos boxes, tornando-se o primeiro retardatário da prova com poucas voltas.

Durante o safety car, vários carros pararam na pista. Verstappen foi o primeiro, seguido por Raikkonen, Ricciardo, Vettel e alguns das posições mais baixas do grid, como Pierre Gasly (Toro Rosso) e Lance Stroll (Williams). Hamilton não parou (erro de estratégia que lhe prejudicaria depois). O primeiro a abandonar a prova foi Nico Hülkenberg (Renault), devido a um problema de motor. Em seguida, um problema de câmbio tirou Bottas da corrida.

Com a parada demorada de Hamilton (que estava cerca de 13 segundos à frente do segundo colocado), Verstappen assumiu a liderança. Ricciardo e Raikkonen lutavam pelo segundo lugar, enquanto Vettel, até então em quinto, brigava com Hamilton. O aniversariante do dia não teve sorte: o motor teve problemas e Ricciardo foi obrigado a deixar a corrida. Ao mesmo tempo, Brendon Hartley (Toro Rosso) teve que abandonar, mas antes ficou ziguezagueando pela pista (talvez para caçar mais uma colisão).

Perto do fim, Hamilton foi forçado a sair da prova. Raikkonen diminuía a diferença para Verstappen, mas o holandês, mesmo com bolhas no carro, continuou à frente (esse é o tipo de piloto que, mesmo que chegue só com as rodas, ele quer correr). Muitos acreditavam que o finlandês o passaria (ó as ideia…).

 

Conta aí, Kimi: como é ser freguês do Verstappen?

 

Max Verstappen foi o grande vencedor, para a alegria da torcida, da Red Bull e de seu pai Jos. Raikkonen foi o segundo colocado e Vettel foi o terceiro. O Red Bull Ring é uma pista muito abrasiva (motivo pelo qual muitos pilotos tiveram problemas ano passado). Mas Verstappen demonstrou o porquê de ter a confiança de sua equipe. Seus haters podem até torcer contra e xingar à vontade, o fato é este: Max é uma estrela, e ninguém vai apagar seu brilho!

Notas:

Corrida: 9 (muito boa mesmo!!!!!)

Pilotos:

  1. Max Verstappen: 10 (o talentoso bebê da Fórmula 1 ataca novamente; soube ultrapassar muito bem e liderou a prova com categoria)
  2. Kimi Raikkonen: 8 (se esforçou, mas tive a impressão que tentou roubar; quem torceu pra ele passar o Max sifu legal!)
  3. Sebastian Vettel: 7 (não estava fazendo uma boa prova, foi beneficiado pelas quebras de Ricciardo e Hamilton)
  4. Romain Grosjean: 8 (tirou bastante proveito da Haas, mas é certo que foi beneficiado pelas quebras dos adversários)
  5. Kevin Magnussen: 8 (idem acima)
  6. Esteban Ocon: 7 (não foi um de seus melhores dias, mas teve um bom resultado)
  7. Sergio Perez: 7 (idem acima; atitude nobre em devolver a posição que Esteban lhe cedeu depois de não conseguir alcançar as Haas)
  8. Fernando Alonso: 7 (o queridinho de Sergio Maurício foi bem, mas não tava lá essas coisas não)
  9. Charles Leclerc: 5 (o futuro escudeiro de Vettel só passou pilotos cujo carro tem estrutura de carroça, e se não fosse as quebras do Ricciardo e do Hamilton, ele estaria em 12º)
  10. Marcus Ericsson: 6 (parabéns pelo ponto, hein!)
  11. Pierre Gasly: 5,5 (estava indo bem no começo, mas acabou tendo problema atrás de problema)
  12. Carlos Sainz Jr.: 5,5 (começou bem, terminou mal)
  13. Lance Stroll: 6 (ótima largada, chegando a estar em 11º, mas não sei o que acontece com o carro de Lance)
  14. Sergey Sirotkin: 2 (tava correndo?)
  15. Stoffel Vandoorne: 1 (pare de procurar bater nos outros e corra, menino!)
  16. Lewis Hamilton: 8 (tava tendo muito problema com os pneus, e aquele pit stop da Mercedes ferrou tudo)
  17. Brendon Hartley: 2 (vai abandonar e fica na pista brincando de amarelinha… esse parece que gosta de bater
  18. Daniel Ricciardo: 8 (muito boa a ultrapassagem sobre Raikkonen; é uma pena que o motor o abandonou)
  19. Valtteri Bottas: 8 (a corrida de Bottas chegou ao fundo do posso: de pole position, a traído pelo câmbio)
  20. Nico Hülkenberg: 6 (a câmera não mostrou o que ele estava fazendo antes do motor quebrar)

 

Driver of the Day (escolhido pelo público): Max Verstappen

Melhor piloto: Max Verstappen (grande corrida, grande piloto!!!)

Pior piloto: Stoffel Vandoorne