O Grande Prêmio do Japão de 2018, que aconteceu no dia 7 de setembro, trouxe um retrato da temporada de Fórmula 1 anterior. Estratégias maquiavélicas da Ferrari e o temperamento de seu primeiro piloto Sebastian Vettel permitiram que o líder do campeonato, Lewis Hamilton (Mercedes) abrisse 65 pontos de vantagem em relação ao segundo colocado. Com isso, apenas um milagre tira a taça de campeão das mãos do inglês.

Hamilton foi pole position, seguido pelo companheiro Valtteri Bottas. Vettel largou em 8º, beneficiado pela punição dada a Esteban Ocon (Force India). Logo no começo, a equipe italiana pôs em prática um de seus planos mirabolantes: Kimi Raikkonen forçou Max Verstappen (Red Bull) e os dois tiveram um pequeno toque, possibilitando que Vettel passasse o finlandês. Os comissários, “muuuuuuuuuuito imparciais”, resolveram punir Max com 5 segundos. Outros incidentes que chamaram a atenção foi a batida de Charles Leclerc (Sauber) em Kevin Magnussen (Haas) e o confronto entre Lance Stroll (Williams) e Fernando Alonso (McLaren). O primeiro caso não deu em nada a não ser um furo no pneu do piloto dinamarquês e seu pit stop adiantado. Já no segundo, ambos foram punidos.

Daniel Ricciardo (Red Bull) também fazia uma boa recuperação depois de largar em 15º lugar devido a um problema no motor. Vettel estava perto de Verstappen quando cometeu o maior erro desse ano: tentou ultrapassar em um ponto apertado, jogou o holandês para fora e rodou na pista, sendo ultrapassado por muitos competidores. Max se recuperou e, mesmo parando nos boxes para a troca de pneus e pagando a punição, voltou à frente de Raikkonen.

O restante da corrida foi marcado pelos abandonos de Magnussen, Nico Hülkenberg (Renault) e Leclerc, relacionados a falhas mecânicas (no caso do alemão foi uma batida não mostrada pelas câmeras). Hamilton liderava com folga, Vettel lutava para voltar ao topo e Bottas sofria com a aproximação do Furacão Max, que por pouco não lhe tomou o segundo lugar (a atuação patética de Alonso de não respeitar a bandeira azul e o fraco desempenho do motor Renault contribuíram para a situação).

Hamilton foi o vencedor, seguido por Bottas e Verstappen. Com a enorme vantagem em relação a Vettel, Lewis sai do Japão com mais pontos do que acumulou no ano passado inteiro. Embora o campeonato já esteja praticamente ganho pelo inglês, se quiser vencer os próximos, a Ferrari deve deixar esses planos maquiavélicos de lado e controlar o temperamento de Vettel, que comete erros bobos de maneira impetuosa e impulsiva. Estes erros lhe custam os títulos e a credibilidade como um tetracampeão merecido.

Notas

Corrida: 8

Pilotos

  1. Lewis Hamilton: 10
  2. Valtteri Bottas: 7
  3. Max Verstappen: 10
  4. Daniel Ricciardo: 10
  5. Kimi Raikkonen: 4 (ética zero)
  6. Sebastian Vettel: 7
  7. Sergio Perez: 8
  8. Romain Grosjean: 6
  9. Esteban Ocon: 8
  10. Carlos Sainz Jr.: 7
  11. Pierre Gasly: 6
  12. Marcus Ericsson: 4
  13. Brendon Hartley: 4
  14. Fernando Alonso: 3
  15. Stoffel Vandoorne: 3
  16. Sergey Sirotkin: 3
  17. Lance Stroll: 6

 

Abandonaram

  1. Charles Leclerc
  2. Nico Hülkenberg
  3. Kevin Magnussen

Driver of the Day (escolhido pelo público): Daniel Ricciardo

Melhores pilotos: Daniel Ricciardo e Max Verstappen

Pior piloto: Fernando Alonso

Dupla Dick Vigarista e Muttley do dia: Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen