Análise GP da Espanha 2018

O Grande Prêmio da Espanha de 2018, ocorrido no dia 13 de maio, foi uma daquelas corridas que dividem opiniões. Apesar do Circuito da Catalunha não ser favorável para ultrapassagens, acidentes e estratégias de pit stop permitiram que a cara do grid mudasse várias vezes. Agrada quem gosta de mudanças, mas desagrada aqueles que não curtem muitos abandonos.

A pole foi de Lewis Hamilton (Mercedes), dividindo a primeira fila com o companheiro Valtteri Bottas. Em seguida vinha a dupla da Ferrari e a da Red Bull. Pouco tempo após a largada, Romain Grosjean (Haas) rodou, colocou o carro desgovernado de volta à pista e bateu em Nico Hülkenberg (Renault) e em Pierre Gasly (Toro Rosso), acabando com a prova dos três. O safety car foi acionado, mas mesmo sendo impedido de ultrapassar, Sebastian Vettel (Ferrari) demostrou que estava sedento pela vitória. Com o fim do safety car, ele tomou o segundo lugar de Bottas e começou a caça por Hamilton.

Vettel tentou dar um undercut, trocando os pneus primeiro. Bottas foi o próximo. Hamilton aumentava a vantagem para os adversários. Porém, algo surpreendente aconteceu depois: Kimi Raikkonen (Ferrari), não ser superado por Max Verstappen (Red Bull), foi forçado a abandonar. Após o pit stop de Hamilton, Verstappen liderou a prova e o inglês, com prudência, esperou o holandês parar nos boxes para retomar a liderança.

No meio do grid, as Force Indias de Sergio Perez e Esteban Ocon passavam por muitos problemas. Enquanto Fernando Alonso (McLaren) aumentava a vantagem para o francês, o mexicano sofria para tentar ultrapassar Lance Stroll (Williams) e não ser superado por Stoffel Vandoorne (McLaren), que tinha uma punição de 5 segundos para cumprir por uma conduta irregular após o acidente de Grosjean.

Ocon teve um problema de motor e foi forçado a abandonar. O safety car virtual foi acionado. Durante esse tempo, uma colisão com Stroll quebrou um pedaço da asa dianteira de Verstappen, mas parece que isso não afetou muito o desempenho do jovem da Red Bull. Vettel, que estava atrás dele, tentava a ultrapassagem, mas não conseguia sequer aproximar. Sergey Sirotkin (Williams) rodou, mas não causou maiores danos e continuou a prova. Vandoorne abandonou pouco tempo depois, também por falhas no motor.

A prova terminou com Hamilton vencedor, seguido por Bottas e Verstappen. O GP mostrou que a determinação do piloto pode superar muitos problemas, além de que a pista espanhola não impossibilita tanto as ultrapassagens como a de Mônaco e da Austrália. Já é a terceira corrida seguida que Vettel não consegue um pódio, aumentando a vantagem de Hamilton. O ano de 2018 surpreende cada vez mais.

Notas

Corrida: 10 (muitas emoções devido aos abandonos e ultrapassagens)

Pilotos:

Lewis Hamilton: 10 (se manteve constante e prudente durante toda a prova e conquistou mais uma vitória)

Valtteri Bottas: 9 (mesmo com problemas nos pneus, conseguiu um bom resultado)

Max Verstappen: 10 (mostrou toda a sua capacidade de superação, conquistando um merecido pódio mesmo com a asa quebrada)

Sebastian Vettel: 8 (foi perdendo rendimento ao longo da prova, mas foi prudente ao não disputar o terceiro lugar com Verstappen – lembrem do que aconteceu na China…)

Daniel Ricciardo: 7 (não foi seu melhor dia, mas um quinto lugar está muito bom)

Kevin Magnussen: 9 (excelente resultado para o piloto e a equipe, além de se manter longe de erros)

Carlos Sainz Jr.: 9 (idem acima)

Fernando Alonso: 9 (lutou muito para fazer ultrapassagens, como a em cima de Leclerc, e garantiu uma boa posição)

Sergio Perez: 9 (idem acima, até na ultrapassagem)

Charles Leclerc: 9 (o pit stop o colocou em penúltimo, mas foi superando cada obstáculo até chegar aos pontos)

Lance Stroll: 6 (como sempre:  por culpa do carro, uma boa largada morre na praia)

Brendon Hartley: 5 (superou o terrível acidente no terceiro treino livre, mas não surpreendeu)

Marcus Ericsson: 3 (pelo menos tentou manter a posição, mesmo não conseguindo)

Sergey Sirotkin: 2 (roda a roda, Sergey)

Stoffel Vandoorne: 3 (não surpreendeu e ainda levou uma punição)

Esteban Ocon: 6 (teve muitos problemas no carro, mas tentou dar o melhor de si nessas condições)

Kimi Raikkonen: 6 (uma pena que seu carro o tenha feito abandonar, mas estava quase levando um olé do Verstappen)

Nico Hülkenberg:  (o coitado teve a roda arrancada e não teve nem tempo de fazer nada)

Pierre Gasly:  (idem acima)

Romain Grosjean: 0 (acidente que poderia ter sido evitado se tivesse parado na brita em vez de devolver o carro para a pista em condições perigosas)

Driver of the Day (votado pelo público): Lewis Hamilton

Melhor piloto: Max Verstappen (nem asa quebrada para esse menino!)

Pior piloto: Romain Grosjean (como diria Dona Florinda: “e da próxima vez, vá quebrar os carros da sua avó! ”)

1 responder
  1. Fernando
    Fernando says:

    Será que Lewis Hamilton vai ganhar novamente! Sempre os mesmos? Equilíbrio é fundamental, os pilotos devem ganhar pelo talento e não porque a equipe tem mais dinheiro!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *