Análise do Grande Prêmio do Bahrein de 2021 | 2021 Bahrain Grand Prix Analysis

Por Rebeca Pinheiro e Adriana Perantoni | By Rebeca Pinheiro and Adriana Perantoni

O Grande Prêmio do Bahrein de 2021 ocorreu no dia 28 de março. A expectativa era alta, e tudo indicava que seria uma corrida cheia de surpresas. Logo na volta de apresentação, Sergio Pérez (Red Bull) teve uma pane elétrica no carro e precisou largar dos boxes. Além disso, foi preciso mais uma volta de apresentação para retirar o carro da pista. No entanto, o mexicano provou mais uma vez que pode surpreender diante de situações adversas.

Max Verstappen (Red Bull) largou da pole position ao lado de Lewis Hamilton (Mercedes). Valtteri Bottas (Mercedes) e Charles Leclerc (Ferrari) completaram a segunda fila. Esta foi a segunda vez que Verstappen consegue a pole em uma corrida no Oriente Médio (a primeira foi no Grande Prêmio de Abu Dhabi de 2020). Logo no início, Leclerc ultrapassou Bottas e o estreante Nikita Mazepin (Haas) rodou na pista, chocando-se contra o muro. O safety car foi acionado.

Após a relargada, houve alguns confrontos, como a ultrapassagem de Lance Stroll (Aston Martin) sobre Fernando Alonso (Alpine), a revanche entre Bottas e Leclerc e os avanços do estreante Yuki Tsunoda (AlphaTauri). Seu companheiro de equipe, Pierre Gasly, não teve a mesma sorte. Problemas no carro levaram o francês a amargar nas últimas posições do grid durante toda a corrida.

Embora tenha tido um bom começo de prova, o desempenho de Leclerc caiu muito após o triunfo de Bottas. Adversários como Lando Norris e Daniel Ricciardo (ambos da McLaren) tiveram vantagem sobre o monegasco. Ao mesmo tempo, Sebastian Vettel (Aston Martin) lutava contra pilotos do fim do grid, como o estreante Mick Schumacher (Haas), Nicholas Latifi e George Russell (ambos da Williams). Um dos mais emblemáticos combates do alemão nesta corrida foi contra Tsunoda, no qual o estreante japonês ultrapassou com facilidade o tetracampeão alemão.

Mas quem brilhou no GP do Bahrein foi Pérez. Sua garra e determinação o tiraram rapidamente do fim do grid e o levaram à zona de pontuação em poucos minutos. Duelos com Vettel, Alonso, Stroll e Ricciardo foram impressionantes. Embora não tenha conseguido a vitória (como houve no Grande Prêmio de Sahkir do ano passado), Checo mais uma vez surpreendeu o público, pois seu abandono era dado como certo e mesmo assim conseguiu triunfar sobre pilotos que aparentemente estavam em situações tranquilas.

Alonso foi forçado a abandonar a prova devido a falhas mecânicas. Latifi e Gasly também se retiraram perto do fim da corrida. No fim do grid, Vettel fez mais uma de suas manobras à lá Dick Vigarista e bateu na traseira de Esteban Ocon (Alpine). O incidente foi analisado pelos comissários.

A estratégia adotada foi de dois pit stops. Uma demora para chamar Verstappen para a troca (problema recorrente na Red Bull) deu a liderança da corrida a Hamilton. A Mercedes trocou bem rápido os pneus do piloto inglês, mas o mesmo não ocorreu no segundo pit stop de Bottas, que levou pouco mais de 10 segundos. Nas últimas voltas, Verstappen tirava tudo de seu carro e conseguiu ultrapassar Hamilton, mas se desequilibrou e o britânico retomou a dianteira.

Lewis Hamilton foi o vencedor, com Max Verstappen em segundo e Valtteri Bottas em terceiro. O Grande Prêmio do Bahrein foi um ótimo começo para a temporada de 2021, com várias ultrapassagens e duelos emocionantes (até mesmo nas últimas voltas). Hamilton e Verstappen confirmam o favoritismo na batalha pelo título. As estreias de Sergio Pérez pela Red Bull e de Yuki Tsunoda na Fórmula 1 foram impressionantes, o mesmo não se pode dizer sobre as de Sebastian Vettel na Aston Martin e de Nikita Mazepin na categoria. Embora Fernando Alonso tenha precisado abandonar, seu desempenho foi elogiável, pois se manteve na zona de pontuação em boa parte da prova.

Carro com problemas? Isso não é nada para o Super Checo.

Opinião da Rebeca:

O GP do Bahrein traz muitas expectativas para a temporada de 2021. A corrida foi emocionante sem tensionar os fãs. A vitória seria merecida tanto se fosse conquistada por Lewis Hamilton quanto por Max Verstappen, pois ambos os pilotos são muito talentosos e sempre garantem bons momentos para os torcedores. Percebe-se um certo equilíbrio de forças entre os dois atletas, embora o carro da Mercedes ainda seja superior ao da Red Bull, veterana em estratégias erradas de pit stop.

Como explicado na análise, a estreia de Sebastian Vettel na Aston Martin foi vergonhosa. Não importa quantas vezes os executivos da escuderia e os fãs do alemão mencionem os quatro títulos vencidos pelo piloto no passado, é preciso admitir que sua conduta no presente é de um piloto barbeiro, impulsivo e não merecedor de qualquer conquista. Parece que a compra de ações da Aston Martin, embora lhe garanta prestígio na equipe, não se traduz em resultados nas pistas. Seu companheiro Lance Stroll se manteve na zona de pontuação, mas continua com seu costume ridículo de entregar posições no final das corridas (como fez para Esteban Ocon no Grande Prêmio de Abu Dhabi de 2020 e para Yuki Tsunoda na edição de hoje). Desse jeito, não dá para pensar em competir com McLaren e Ferrari, que dirá com Red Bull e Mercedes.

Opinião da Adriana:

Um começo bom para a temporada de 2021. O GP de Bahrain nos ofereceu momentos de boas ultrapassagens e uma corrida movimentada para o pelotão do meio. Espero que esse ano seja mais uma temporada disputada e com alguns resultados inesperados.

Sergio Pérez, mais uma vez, conseguiu entregar uma ótima corrida de recuperação após seu carro apresentar problemas na volta de apresentação. É oficial: podemos eleger Checo como o Rei do Bahrain. Cirúrgico em todas suas ultrapassagens, o mexicano prova que agora tem um carro que faz jus ao seu talento.

A disputa entre Hamilton e Verstappen foi uma das mais interessantes da corrida, provando que o carro da Red Bull é, mais do que nunca, uma grande ameaça à Mercedes. Mesmo com uma disputa acirrada, Hamilton levou a melhor e quebrou mais uma vez o recorde de piloto com mais vitórias na F1. Ter quase 100 vitórias é só pra quem pode. Outro momento marcante foi a disputa de posições entre Alonso e Vettel, mostrando que mesmo estando dois anos longe da F1, Alonso não deixou de ser um piloto arrojado.

Deixo aqui minha agradável surpresa em ver Stroll com uma corrida consistente e cheia de ultrapassagens. Parece que pelo menos uma Aston Martin se deu bem esse fim de semana.

Mesmo com o pódio previsível, essa corrida foi emocionante e com boas performances, dando aos fãs a esperança de que teremos mais uma temporada surpreendente.

Nota: como mencionado no post do The Racing Track Awards nessa temporada, não mencionarei o outro piloto da Haas. Assim, nas notas, apenas avaliarei os outros 19 pilotos. Eu mencionei rapidamente o porquê dessa decisão e a reforço aqui: o russo não demonstra um pingo de respeito pelas mulheres e o escândalo em que se envolveu no ano passado prova isso. Se a Fórmula 1 realmente “corre como um”, o esporte não deveria dar espaço a um “homem” como ele. Por isso, não mencionarei nada sobre ele, mantendo assim, pelo menos, o meu espaço livre dele.

Notas

Corrida: 9 (Rebeca e Adriana)

Pilotos

  1. Lewis Hamilton: 9 (Rebeca e Adriana)
  2. Max Verstappen: 9 (Rebeca e Adriana)
  3. Valtteri Bottas: 7 (Rebeca e Adriana)
  4. Lando Norris: 7,5 (Rebeca) | 8 (Adriana)
  5. Sergio Pérez: 10 (Rebeca e Adriana)
  6. Charles Leclerc: 7 (Rebeca) | 9 (Adriana)
  7. Daniel Ricciardo: 7 (Rebeca) | 9 (Adriana)
  8. Carlos Sainz Jr: 7 (Rebeca) | 8 (Adriana)
  9. Yuki Tsunoda: 9 (Rebeca) | 8 (Adriana)
  10. Lance Stroll: 7 (Rebeca) | 8 (Adriana)
  11. Kimi Raikkonen: 6 (Rebeca) | 7 (Adriana)
  12. Antonio Giovinazzi: 6 (Rebeca) | 7 (Adriana)
  13. Esteban Ocon: 3 (Rebeca) | 6 (Adriana)
  14. George Russell: 6 (Rebeca e Adriana)
  15. Sebastian Vettel: 2 (Rebeca) | 4 (Adriana)
  16. Mick Schumacher: 3 (Rebeca) | 6 (Adriana)

Abandonaram

  1. Pierre Gasly: 5 (Rebeca e Adriana)
  2. Nicholas Latifi: 4 (Rebeca e Adriana)
  3. Fernando Alonso: 6,5 (Rebeca) | 7 (Adriana – até o abandono)
  4. Nikita Mazepin

Piloto do Dia (escolhido pelo público): Sergio Pérez

Melhor piloto: Sergio Pérez (Rebeca e Adriana)

Pior piloto: Sebastian Vettel (Rebeca e Adriana)

2 respostas
  1. Elizete
    Elizete says:

    Concordo com tudo o que escreveram, meninas. Sergio Peres, para mim, foi o grande vencedor. Mostrou o que a Aston Martin perdeu na troca com Vettel, que se atrapalhou e mostra que não tem equilíbrio emocional para ser piloto, envergonhando o fato de ser tetracampeão.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *