Análise do Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2021 | 2021 British Grand Prix Analysis

O Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2021 ocorreu no dia 18 de julho. A Fórmula 1 aplicou um novo modelo de classificação para decidir a pole position no final de semana. Na sexta feira, a segunda sessão de treinos livres definiu o grid de largada para uma corrida sprint, realizada no sábado. O resultado dessa, por sua vez, decidiu a classificação para a corrida oficial, no domingo.

Max Verstappen (Red Bull) largou da pole position ao lado de Lewis Hamilton (Mercedes). Valtteri Bottas (Mercedes) e Charles Leclerc (Ferrari) completaram a segunda fila. Verstappen e Hamilton travaram um duelo intenso pela liderança, já Leclerc conseguiu ultrapassar Bottas com facilidade. Antes da primeira volta ser completada, Max fez um movimento tardio para se defender de Lewis, que também freou tarde, e acabou batendo forte no muro. Leclerc aproveitou o momento e tomou a liderança. A direção de prova acionou a bandeira vermelha. O holandês saiu do carro sentindo tonturas e foi levado para o centro médico.

Durante a bandeira vermelha, os comissários ouviram representantes da Red Bull e da Mercedes e decidiram punir Hamilton com 10 segundos. Após a relargada, Leclerc se manteve à frente e Lando Norris (McLaren) ultrapassou Bottas. No fim do grid, Sergio Pérez (Red Bull), que largou do pit lane por ter abandonado a corrida sprint, superava vários adversários. Sebastian Vettel (Aston Martin) rodou na pista e perdeu muitas posições. Kimi Raikkonen (Alfa Romeo) escapou da pista e foi obrigado a deixar seus concorrentes passarem.

Como o traçado de Silverstone tem muitas curvas, muitos pilotos se aproximavam de seus rivais, mas não conseguiam ultrapassá-los. Foi o que houve, por exemplo, com Pérez, Pierre Gasly (AlphaTauri) e Fernando Alonso (Alpine). Leclerc relatou problemas no motor para a equipe e a Ferrari trabalhou rapidamente para resolver a situação. Esperando manter-se na pista por mais tempo para compensar a largada de uma posição desfavorável, Pérez foi o primeiro a ir para os boxes. Entre os quatro primeiros pilotos do grid, Norris foi o primeiro a trocar os pneus, mas seu pit stop foi muito lento (seis segundos) e o levou para o sexto lugar. Com isso, embora Bottas tenha saído dos boxes muito próximo ao piloto da McLaren, o finlandês se manteve à frente.

Hamilton fez a troca de pneus e cumpriu a punição. Ele acelerou ao máximo para compensar o tempo perdido. Em poucas voltas, alcançou Norris e o tirou do terceiro lugar. As paradas dos carros da Ferrari foram lentas (a de Carlos Sainz Jr. demorou muito devido a um problema na retirada de um dos pneus), mas Leclerc continuou à frente. Sainz tentava superar Daniel Ricciardo (McLaren), mas apesar de se aproximar bastante, não conseguiu melhorar sua posição. Embora Pérez estivesse lutando por lugares mais altos na zona de pontuação, buscando ultrapassar Lance Stroll (Aston Martin) e Alonso para chegar ao sétimo lugar, a sorte não estava do seu lado. A Red Bull o chamou para uma segunda troca de pneus e o mexicano perdeu as chances de pontuar. A equipe ainda fez uma terceira troca, perto do fim, que apenas serviu para tirar o ponto extra de Hamilton pela volta mais rápida. Raikkonen, que foi um de seus adversários mais difíceis, acabou saindo da pista em uma disputa com Checo. Os comissários decidiram investigar o ocorrido depois do fim. Vettel teve que abandonar devido a problemas no carro.

Enquanto isso, Hamilton ia à caça de Leclerc. A Mercedes havia decidido inverter sua posição com a de Bottas, já que o companheiro estava com problemas nos pneus e não havia expectativa de ultrapassar o monegasco. O inglês superou o piloto da Ferrari na penúltima volta, quando Leclerc cometeu um pequeno erro que o fez sair da pista momentaneamente.

Lewis Hamilton foi o vencedor, com Charles Leclerc em segundo e Valtteri Bottas em terceiro. Com sua vitória e o abandono de Max Verstappen, a diferença entre o líder e o vice-líder do campeonato cai para oito pontos. A Red Bull foi a maior derrotada no Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2021, pois nenhum de seus pilotos pontuou e Hamilton está mais próximo de Verstappen na disputa pelo título. O inglês provou mais uma vez que sua determinação supera as maiores adversidades. Um ponto no mínimo curioso foi a Fórmula 1 ter decorado a área do pódio com o rosto de Lando Norris sem nenhuma razão aparente. Não é o aniversário do piloto, nem de sua equipe, e ele não é o único inglês do grid, muito menos o piloto dessa nacionalidade com mais feitos (nem na atualidade, nem em toda a história do esporte). Isso acaba comprovando a análise de Ricardo Hernandes Meyer sobre a conveniência da Fórmula 1 com a idolatria injustificada a Lando Norris.

Quando o piloto é bom de verdade, não tem para ninguém. E Lewis Hamilton é a prova disso.

Notas

Corrida: 8

Pilotos

  1. Lewis Hamilton: 10
  2. Charles Leclerc: 10
  3. Valtteri Bottas: 7,5
  4. Lando Norris: 7,5
  5. Daniel Ricciardo: 6
  6. Carlos Sainz Jr.: 6
  7. Fernando Alonso: 7
  8. Lance Stroll: 7
  9. Esteban Ocon: 6,5
  10. Yuki Tsunoda: 5
  11. Pierre Gasly: 6,5
  12. George Russell: 5
  13. Antonio Giovinazzi: 4
  14. Nicholas Latifi: 4
  15. Kimi Raikkonen: 2
  16. Sérgio Pérez: 6,5
  17. Nikita Mazepin: 3
  18. Mick Schumacher: 3

Abandonaram

  1. Sebastian Vettel: 3
  2. Max Verstappen

Piloto do Dia (escolhido pelo público): Charles Leclerc

Melhores pilotos: Charles Leclerc e Lewis Hamilton

Pior piloto: Kimi Raikkonen

Análise do Grande Prêmio da Áustria de 2021 | 2021 Austrian Grand Prix Analysis

O Grande Prêmio da Áustria de 2021 ocorreu no dia 4 de julho. Foi a segunda corrida do ano a ser realizada no Red Bull Ring, após o Grande Prêmio da Estíria. Depois de um treino classificatório fora do comum, o grid de largada trouxe algumas surpresas. Os carros da Ferrari não chegaram ao Q3, George Russell (Williams) partiu da nona posição, e um piloto não-pertencente a Mercedes, Red Bull ou Ferrari, começou a prova da primeira fila.

Max Verstappen (Red Bull) largou da pole position, ao lado de Lando Norris. Sergio Pérez (Red Bull) e Lewis Hamilton (Mercedes) completaram a segunda fila. Não houve muitas mudanças no grid logo no começo. O que chamou mais atenção foi o incidente com Esteban Ocon (Alpine), que foi expremido por Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo) e Mick Schumacher (Haas), e teve que abandonar. O safety car foi acionado e a corrida foi liberada na terceira volta. Com isso, Giovinazzi foi o primeiro a trocar pneus.

Valtteri Bottas (Mercedes) ultrapassou Hamilton, mas o inglês recuperou a posição. Pouco depois, Pérez tentou ultrapassar Norris, mas foi forçado para fora da pista e acabou no décimo lugar. Os pilotos da AlphaTauri foram os primeiros do meio do grid a fazer a troca de pneus, com Yuki Tsunoda parando antes de Pierre Gasly. Ambos acabaram no fim do grid. Daniel Ricciardo (McLaren) fez uma boa ultrapassagem sobre Sebastian Vettel antes do piloto alemão ir para os boxes.

Os comissários puniram Norris com 5 segundos por ter forçado Pérez para fora da pista. Pouco depois do anúncio, Hamilton o ultrapassou. Tsunoda levou a mesma punição por ter cruzado a linha do pit lane (e mais tarde foi novamente punido por reincidência). Na volta 27 houve uma briga pelo quinto lugar entre Ricciardo, Charles Leclerc (Ferrari) e Pérez. O ítalo-australiano foi o primeiro dos três a parar. A McLaren chamou Norris aos boxes para a troca de pneus e pagamento da punição, mas a Mercedes previu a manobra e chamou Bottas. O finlandês voltou à frente do inglês. Em seguida foram as vezes de Hamilton e Verstappen trocar os pneus.

Leclerc tentou ultrapassar Pérez, mas o mexicano o forçou para fora da pista. Isso lhe rendeu uma punição de 5 segundos. Não sei se houve o mesmo na narração dos outros países, mas no Brasil, tanto o narrador Sérgio Maurício quanto os comentaristas Reginaldo Leme e Felipe Giaffone usaram dois pesos e duas medidas para descrever o ocorrido. Quando Norris jogou Pérez para fora, os três defenderam o piloto da McLaren, dizendo que “ele não tinha o que fazer”. Já quando Pérez fez o mesmo com Leclerc, tanto o narrador quanto os comentaristas clamaram furiosos pela punição ao mexicano, deixando bem claro a torcida e simpatia pelo filho de Adam Norris.

Mais tarde, Pérez voltou a forçar Leclerc para fora, levando mais uma punição de 5 segundos. Hamilton começou a enfrentar problemas no carro e a Mercedes invertei sua posição com Bottas para evitar ataques de Norris. O atual heptacampeão precisou trocar os pneus e acabou no quarto lugar. No fim da corrida, Carlos Sainz Jr. (Ferrari), que foi o último do grid a ir para os boxes, ultrapassou Leclerc e Fernando Alonso (Alpine) superou Russell, acabando com as chances do piloto da Williams marcar seu primeiro ponto pela equipe. Pouco depois da bandeira quadriculada, Kimi Raikkonen (Alfa Romeo) se chocou contra Vettel quando este tentava ultrapassá-lo. Os dois acabaram na brita.

Max Verstappen foi o vencedor, com Valtteri Bottas em segundo e Lando Norris em terceiro. Tal como houve na corrida anterior, o Grande Prêmio da Áustria de 2021 não foi muito emocionante devido à imensa facilidade de vitória do pole position. A atuação de Charles Leclerc foi novamente motivo de aplausos, pois mesmo com vários problemas, conseguiu uma boa pontuação. Sua equipe está duelando com a McLaren no campeonato de construtoras e cada ponto faz a diferença. Por outro lado, a performance de Sergio Pérez deixou a desejar. Perdeu as chances de ultrapassar Lando Norris e forçou duas vezes Leclerc para fora da pista. Outro destaque negativo foi o carro da Mercedes, que deixou Lewis Hamilton na mão em um momento importante do campeonato. Agora, Verstappen tem uma grande vantagem e se consolida líder. Se a equipe alemã quer vencer a Red Bull, vai precisar cobrar mais do departamento de engenharia.

Mais um trabalho lamentável da narração brasileira

Notas

Corrida: 7

Pilotos

  1. Max Verstappen: 9
  2. Valtteri Bottas: 8
  3. Lando Norris: 8
  4. Lewis Hamilton: 9
  5. Carlos Sainz Jr.: 8
  6. Sérgio Pérez: 3
  7. Daniel Ricciardo: 7
  8. Charles Leclerc: 9
  9. Pierre Gasly: 7
  10. Fernando Alonso: 7
  11. George Russell: 8
  12. Yuki Tsunoda: 7
  13. Lance Stroll: 3
  14. Antonio Giovinazzi: 3
  15. Nicholas Latifi: 3
  16. Kimi Raikkonen: 3*
  17. Sebastian Vettel: 3*
  18. Mick Schumacher: 3
  19. Nikita Mazepin: 3

 

Abandonou

  1. Esteban Ocon

Piloto do Dia (escolhido pelo público): Lando Norris

Melhor piloto: Charles Leclerc

Pior piloto: Sergio Pérez

*Como a batida entre ambos ocorreu depois da bandeira quadriculada, Raikkonen e Vettel se classificaram, respectivamente em 16º e 17º lugar.